Dataprev abre hoje consulta para saber quem vai receber o auxílio emergencial 2021

Beneficiários do Bolsa Família e inscritos no CadÚnico receberão as parcelas automaticamente, desde que se encaixem nos critérios de elegibilidade

A partir de hoje (1º), trabalhadores informais podem consultar se foram aprovados para o auxílio emergencial 2021. A consulta pode ser feita pelo Portal de Consultas da Dataprev. O cidadão precisará informar CPF, nome completo, nome da mãe e data de nascimento. 

Já os outros dois grupos que recebem o auxílio (beneficiários do Bolsa Família e inscritos no CadÚnico) terão as parcelas depositadas automaticamente, desde que se encaixem nos critérios de elegibilidade. Portanto, não constarão na lista do Dataprev.

PRIMEIRA PARCELA EM ABRIL

O calendário 2021 do auxílio ainda não foi divulgado oficialmente pelo Governo Federal, mas os primeiros pagamentos devem sair já na próxima semana. Para beneficiários do Bolsa Família, o calendário deve começar no dia 16, conforme antecipou o Ministério da Cidadania. Os valores serão pagos em quatro parcelas, entre abril e julho. 

Neste ano de 2021, serão pagos R$ 43 bilhões a 45,6 milhões de brasileiros que se enquadram nos requisitos para receber o dinheiro. 

Do total, R$ 23,4 bilhões serão destinados ao público já inscrito em plataformas digitais da Caixa (28,6 milhões de beneficiários), R$ 6,5 bilhões para integrantes do Cadastro Único do Governo Federal (6,3 milhões) e mais R$ 12,7 bilhões para atendidos pelo Programa Bolsa Família (10,6 milhões). 

VALOR MÉDIO DE R$ 250

O governo vai considerar a composição familiar na hora de conceder o novo auxílio emergencial. Confira abaixo as novas faixas de pagamento:  

  • Auxílio emergencial de R$ 375: valor pago às mulheres chefes de família.   
  • Auxílio emergencial de R$ 250: esse é o valor médio e será destinado às famílias com duas ou mais pessoas, exceto daquelas com mães chefes de família.  
  • Auxílio emergencial de R$ 150: destinado às famílias compostas por apenas uma pessoa.  

QUEM TEM DIREITO A RECEBER

  • Microempreendedores individuais (MEI);
  • Contribuinte individual da Previdência Social
  • ​Trabalhador informal.

Assim como no ano passado, os critérios de renda familiar por pessoa ficam entre meio salário mínimo (R$ 550) até três salários mínimos (R$ 3,3 mil) no total, somando as rendas de todos os membros da família.  Trabalhadores informais que receberam o benefício em 2020 deverão ter acesso novamente às parcelas, mas, desta vez, só uma pessoa por família está apta.

NÃO TEM DIREITO A RECEBER

  • Empregado formal ativo;
  • Membro de família com renda mensal superior a três salários mínimos (R$ 3,3 mil);
  • Residente no exterior;
  • Pessoas que recebem benefício previdenciário, assistencial ou trabalhista, exceto Bolsa Família e Pis/Pasep;
  • Quem tenha recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2019;
  • Quem tinha, em 31 de dezembro de 2019, bens ou direitos com valor total superior a R$ 300 mil;
  • Quem recebeu em 2019 rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, com soma superior a R$ 40 mil;
  • Tenha sido incluído como dependente, seja cônjuge, companheiro, filho ou enteado nas condições dispostas nos três itens anteriores;
  • Esteja preso em regime fechado ou tenha CPF vinculado à concessão de auxílio-reclusão;
  • Tenha menos de 18 anos, exceto mães adolescentes;
  • Tenha tido o auxílio emergencial em 2020 cancelado;
  • Não tenha movimentado valores do auxílio emergencial em 2020;
  • Seja estagiário, residente médico ou residente multiprofissional, beneficiário de bolsa de estudo concedidas por órgãos públicos;

BENEFÍCIO LIMITADO 

Ao contrário do benefício pago em 2020, a nova rodada deve se limitar a um benefício por família. Até então, foi possível que até dois membros da mesma família recebessem o auxílio. Neste ano, o governo quer apenas uma parcela por lar. A decisão deve reduzir os custos do programa que, segundo a equipe econômica, no ano passado, foi responsável por quase R$ 300 bilhões dos gastos. 

VEJA O PASSO A PASSO PARA ATUALIZAR O CADASTRO NO CAIXA TEM 

CONFIRA O CALENDÁRIO PARA ATUALIZAÇÃO CADASTRAL NO APLICATIVO CAIXA TEM: 

  • 14 de março: nascidos em janeiro 
  • 16 de março: nascidos em fevereiro 
  • 18 de março: nascidos em março 
  • 20 de março: nascidos em abril 
  • 22 de março: nascidos em maio 
  • 23 de março: nascidos em junho 
  • 24 de março: nascidos em julho  
  • 25 de março: nascidos em agosto 
  • 26 de março: nascidos em setembro  
  • 29 de março: nascidos em outubro 
  • 30 de março: nascidos em novembro  
  • 31 de março: nascidos em dezembro 

É NECESSÁRIO REALIZAR A ATUALIZAÇÃO CADASTRAL?

A recomendação da Caixa, sobre a atualização, é uma forma de aumentar a segurança dos usuários e evitar tentativas de fraudes. No entanto, o processo não será necessário ou um impedimento para o recebimento de benefícios, como o novo auxílio emergencial. A atualização pode ser feita inteiramente pelo celular, não sendo necessário que o beneficiário se desloque até uma agência do banco. Ele deve acessar o aplicativo Caixa Tem e seguir as orientações, clicando em “Atualize seu cadastro”. Ao clicar, a Caixa pede foto do beneficiário e documentos pessoais. 

CALENDÁRIO BOLSA FAMÍLIA 2021 

O pagamento do auxílio emergencial para beneficiários do Bolsa Família será a partir de abril e cairá automaticamente na conta. Para saber em que dia o benefício ficará disponível para saque, a família deve observar o último dígito do Número de Identificação Social (NIS), impresso no cartão do titular. 

Calendário do Bolsa Família em 2021
Legenda: No mês de dezembro, os beneficiários com o NIS de finais 9 e 0 começaram a receber o valorFoto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *