Ex-prefeito de Rio Branco é denunciado suspeito de peculato e formação de quadrilha por desvio de R$ 7 milhões na Emurb

O ex-prefeito de Rio Branco Marcus Alexandre foi denunciado à Justiça por peculato e formação de quadrilha sobre a investigação que descobriu uma fraude de R$ 7 milhões em verbas públicas da Empresa Municipal de Urbanização (Emurb). A investigação foi feita pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Acre (MP-AC).

A assessoria do Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC) confirmou que a denúncia contra Marcus Alexandre feita pelo MP-AC foi acatada, mas que ainda não foi publicada no Diário Oficial do TJ-AC. O processo está em segredo de Justiça. A primeira fase da Operação Midas foi deflagrada em setembro de 2016 pelo Gaeco. Na época, foram cumpridos oito mandados judiciais de busca e apreensão, além de três inspeções em órgãos públicos, incluindo a Emurb.

Um ano depois, o Gaeco realizou a 2ª fase da Operação Midas e divulgou que descobriu uma fraude em notas fiscais emitidas na Emurb que gerou um desvio de R$ 7 milhões em verbas públicas. Na ação, 18 pessoas foram presas, das quais nove eram funcionários do órgão, sendo que três ainda trabalhavam no local. Os demais eram empresários que mantinham contrato com a Emurb. Dois quadriciclos foram apreendidos e foi feita a indisponibilidade dos bens de todos os presos. Entre os presos, segundo a Polícia Civil, estava o ex-diretor-presidente da Emurb, Jackson Marinheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *