Acontece neste domingo, 11, em várias cidades do país e do mundo, a Marcha da Família Cristã pela Liberdade. Rio Branco é uma das capitais do país onde está programada a realização do evento.

De acordo com a organização da capital acreana o objetivo é a defesa dos direitos cristãos, inclusive a liberdade de culto, sem defesa de partidos políticos ou ataques às instituições.

No Acre, a atividade presencial nos templos religiosos se tornou uma polêmica. Atualmente, o decreto do governo estabelece que as igrejas só devem ter atividades com fiéis nos dias de semana, até às 22 horas. Na última sexta-feira, 9, o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, chegou a publicar um decreto autorizando a abertura das igrejas aos finais de semana, mas tornou sem efeito sua decisão após recomendação conjunta do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) e do Ministério Público Federal (MPF).

Mesmo negando qualquer conotação política, um claro objetivo do ato é realizar um grande ato no Acre para mostrar a força da população evangélica no estado e a insatisfação com a proibição dos cultos presenciais nos finais de semana.

O trajeto da marcha, que por conta da pandemia e para evitar aglomeração os participantes, será percorrida de bicicletas, moto ou carro, está marcado para ter início às 16 horas do estacionamento do estádio Arena Acreana até a rotatória da AABB na Avenida Ceará.

A coordenação divulgou algumas recomendações para quem vai participar do ato:

Uso obrigatório de máscara cobrindo nariz e boca total;

As pessoas não devem sair de dentro dos seus veículos;

É importante o uso das bandeiras do Brasil e do Acre;

Todos devem estar com roupas verde e amarelo;

O trajeto será até o trevo da AABB, onde todos devem dispersar, automaticamente;

Não vamos fechar o trânsito, devendo usarmos apenas uma pista;

A marcha não possui vinculação partidária e não fará menção ou apologia intervencionista e nem apoiará desrespeito às instituições;

O dispositivo será formado pelo carro de som oficial do evento, seguido pelos motoqueiros e ciclistas, e em seguida pelos veículos.

Ac24horas