O governador do Estado do Acre, Gladson Cameli, e o presidente do Instituto de Meio Ambiente do Acre, André Hassem, realizaram nesta segunda-feira ,12, a assinatura da licença de instalação para a construção do anel viário das cidades de Brasiléia e Epitaciolândia.

A solenidade ocorreu na sede da Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio (Sepa) e teve a a participação dos prefeitos da região do Alto Acre, entre eles, Fernanda Hassem (Brasiléia) e Sérgio Lopes (Epitaciolândia), além dos deputados federais, Flaviano Melo (MDB) e Vanda Milani (Solidariedade).

O projeto enfrentou problemas técnicos em 2019, contudo, após reunião do governador com o diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), general Antônio Leite dos Santos, os problemas foram saneados e Cameli disse que os técnicos do estado entregaram os relatórios de pendência ao Dnit para execução da obra.

A obra do Anel Viário tem recursos financeiros relativos à ordem R$ 60 milhões e o valor inclui projetos e execução de serviço.

Gladson Cameli disse que o esforço feito pelo Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac) em conceder a licença é fundamental para o início da obra. Para ele, será dada, a partir de agora, a ordem de serviço para o início das obras. o governador fez ainda, um apelo aos prefeitos do Alto Acre para que tomem cuidado na escolha das empresas que irão executar o projeto. “São mais de 200 metros da ponte, vamos ter cuidado com as empresas, pois caso haja problemas, o maior prejudicado será o povo”.

Além dessa obra, Cameli garantiu que o governo vem se preparando para o pós-pandemia, para ele, o cenário será de crise na economia. “Preciso gerar emprego e renda para a população”, disse.

O diretor-geral do Departamento de Estado de Estradas e Rodagens do Acre (Deracre), Petronio Antunes, relatou que essa etapa da obra é importante. Segundo o gestor, sem esta licença concedida hoje, o governo não ia conseguir dá início às obras, mesmo com recursos em conta. “Além disso, a obra vai trazer de fato a integração do Acre com países do pacífico”, argumentou.