Após se reunir com lideranças religiosas na última segunda-feira, o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom tornou sem efeito nesta terça-feira, 13, o decreto que permitia a realização de cultos religiosos aos finais de semana em Rio Branco. A medida foi publicada no Diário Oficial do Estado.

A decisão leva em conta a recomendação feita pelo Ministério Público do Acre (MPAC) e pelo Ministério Público Federal (MPF), na última sexta-feira, 09, que sugeriu pela suspensão das celebrações religiosas enquanto durar o estado de calamidade por conta da pandemia de Covid-19 no estado.

Ainda na semana passada, Bocalom, baseado na decisão monocrática do Supremo Tribunal Federal (STF), optou por desconsiderar o toque de recolher no Acre e, então, liberar os cultos presenciais aos finais de semana em todas as denominações religiosas.