Na manhã desta segunda-feira, 19, o governador Gladson Cameli participou da posse de filiação do ex-deputado Ney Amorim ao Podemos, e aproveitou a oportunidade para rebater as ameaças feitas pelo vice-líder de seu governo, Major Rocha (PSL).

Em recentes declarações, o vice de Gladson afirmou que assim que o governador se ausentar do Estado, irá aproveitar para exonerar aliados e familiares de Cameli que ocupam cargos no governo. Em resposta, Gladson disse que Rocha só poderá exonerar pessoas quando for eleito governador. “Ele poderá pegar a caneta dele e exonerar no dia que for eleito governador”, rebateu.

Gladson tirou sarro da situação, e pediu para Rocha aproveitar quando houver oportunidade, “Que ele pegue a caneta e faça bom proveito, mas, ele precisa se eleger primeiro”, disparou. Segundo o governador, críticas fazem parte da democracia dada pelo seu governo. “Somos um governo democrático, é isso”, ressaltou.

Gladson e Rocha vivem um clima de tensão desde o início de 2020, os atritos se aprofundaram durante as eleições municipais de 2020. Após as denúncias de Rocha, Cameli fez uma série de exonerações no gabinete do militar, em forma de retaliação. Major Rocha tem feito duras críticas ao governo e se afastou do governador com quem no início do mandato chegou a ter um bom relacionamento.