Cientistas desenvolvedores da vacina contra a Covid-19, Sputnik V, fizeram um novo estudo sobre o imunizante, desta vez foi feita a avaliação em 3,8 milhões de pessoas, e o imunizante mostrou uma efetividade de 97,6% contra o vírus.  O anúncio foi feito pelo Instituto Gamaleya, de Moscou, e o Fundo de Investimentos Diretos da Rússia (RDIF) nessa segunda-feira, 19.

O estudo foi realizado usando um banco de dados de pessoas que receberam as duas doses da vacina, os cientistas do Instituto Gamaleya de Moscou, que a desenvolveu, calcularam a taxa de efetividade no mundo real. A nova taxa é maior do que a eficácia de 91,6% descrita nos resultados de um ensaio clínico em grande escala da Sputnik V, publicado na revista científica Lancet no início deste ano.

A Sputnik-V é o imunizante adquirido pelo governador Gladson Cameli no Consórcio do Nordeste, em conjunto com os estados do Amazonas, Roraima, Rondônia, Tocantins, Amapá, Mato Grosso e Pará. No total, os oito estados citados acima, irão adquirir 8,2 milhões da vacina Sputnik-V.

Ao todo, para o Acre, o acordo de aquisição é para o total de 700 mil doses da vacina, o suficiente para imunizar a população adulta do estado. Gladson Cameli chegou a assinar o contrato de compra da vacina, para garantir a chegada do imunizante o quanto antes, entretanto, a vacina segue em análise pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que ainda não aprovou a liberação emergencial da vacina russa.

Na semana passada, o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que a agência tem até o dia 28 de abril para decidir sobre a importação excepcional e temporária do imunizante. A decisão se deu por conta da ação movida pelo Maranhão de solicitar a autorização para importar e distribuir por conta própria 4,5 milhões de doses da Sputnik V. O Consórcio Nordeste, que reúne governadores da região, tem um contrato para compra de cerca de 37 milhões de doses da vacina russa.