O governo do Estado do Acre, por meio do Gabinete da Primeira-Dama e da Secretaria de Estado de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres (SEASDHM), realizou nesta quarta-feira, 21, uma visita técnica a Casa da Mulher Brasileira, em São Paulo (SP), localizada na Rua Vieira Ravasco, no Cambuci, Centro da capital paulista. 

O principal objetivo da visita foi conhecer de perto a estrutura e os serviços disponibilizados, visando futuras articulações e parcerias para implementação e manutenção da casa no estado do Acre.  

Primeira-dama, Ana Paula Cameli, foi recebida pela delegada-titular da 1ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de São Paulo, Cristine Costa Foto: Pedro Devani/Secom

A primeira-dama, Ana Paula Cameli, foi recebida pela delegada-titular da 1ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de São Paulo, Cristine Nascimento Guedes Costa, que apresentou à equipe governamental a estrutura da 1ª DDM e a Casa da Mulher Brasileira. Para Ana Paula Cameli, essa visita técnica demonstra como se dará o trabalho de atenção à mulher vítima de violência doméstica e familiar no Acre. 

“Estou encantada em conhecer de perto esse trabalho realizado em São Paulo, já que logo teremos três Casas da Mulher Brasileira no Acre e acreditamos que será um sucesso em nosso estado. A nossa intenção é reduzir os números de casos de feminicídio e de violência contra a mulher, dando a elas um atendimento humanizado”, evidenciou Ana Paula Cameli. 

O Acre terá, até 2022, três unidades da Casa da Mulher Brasileira e um Núcleo Integrado de Atendimento à Mulher (Nuiam), fruto da emenda parlamentar, destinada pelo gabinete da senadora Mailza Gomes, de mais de R$ 4 milhões, que será implementada nos municípios de Rio Branco, Cruzeiro do Sul e Epitaciolândia. 

A Casa da Mulher Brasileira é localizada na Rua Vieira Ravasco, no Cambuci, Centro da capital paulista Foto: Pedro Devani/Secom

Os núcleos visam prestar um atendimento humanizado e eficiente para receber de forma adequada as vítimas de violência doméstica e familiar e proporcionar-lhes condições para interromper o ciclo de violência. 

Em São Paulo o espaço é composto de 3.659 m2 e atende 24 horas por dia para prestar serviços integrais e humanizados às mulheres em situação de violência. É a primeira desse modelo no Estado de São Paulo e a sétima no país. 

Delegada-titular da 1ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de São Paulo, Cristine Nascimento Guedes Costa Foto: Pedro Devani/Secom

“O projeto Casa da Mulher Brasileira põe em perspectiva a violência doméstica que a mulher sofre e o combate numa questão multidisciplinar. A mulher é amparada em todos os aspectos, não só criminal, mas pelo Ministério Público, pela Defensoria Pública e Magistratura recebendo na Casa apoio psicológico e social. A visita da primeira-dama do Acre aqui é muito importante, pois ela poderá aplicar em seu estado essas ações”, destacou a delegada-titular Cristine Costa. 

As mulheres em situação de violência que procuram o local encontram serviços de acolhimento e escuta qualificada por meio de uma equipe multidisciplinar que consiste em: uma Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) com ações de prevenção, proteção e investigação dos crimes de violência doméstica; Ministério Público, com atuação na ação penal dos crimes de violência; Defensoria Pública, com orientação às mulheres sobre seus direitos e assistência jurídica; Tribunal de Justiça, responsável pelos processos, julgamentos e execução das causas relacionadas à violência; um destacamento do programa Guardiã Maria da Penha da Guarda Civil Metropolitana para proteger as vítimas; e também um alojamento de acolhimento provisório para os casos de iminência de morte. E ainda conta com o atendimento em Libras, na Central de Intermediação, para atender mulheres surdas. 

Primeira-dama, Ana Paula Cameli e a diretora de Políticas para as Mulheres da SEASDHM, Isnailda Gondim Foto: Pedro Devani

Essas visitas em São Paulo são ações e articulações que fazem parte do Programa Estadual Mulher, Viver com Segurança e Dignidade, do governo do Estado do Acre por meio da Diretoria de Políticas para as Mulheres da SEASDHM. “Hoje está sendo um dia muito importante para as mulheres do Acre, com a presença da primeira-dama em São Paulo visitando a Casa da Mulher Brasileira. Será de extrema importância essa implantação desta Casa em nosso estado, em razão dos altos índices de violência contra mulher, que precisamos combater”, ressaltou Isnailda Gondim, diretora de Políticas para as Mulheres da SEASDHM.