MANAUS – Inovação e a criatividade são indispensáveis na hora do sexo e sempre quando falamos na busca por mais prazer durante a “Hora H’’ ou a masturbação, logo vem à cabeça o uso de vibradores, por exemplo. O popular brinquedo sexual possui diferentes modelos, tamanhos e cores, entretanto, outros produtos sensuais também têm ganhado espaço nas prateleiras de sex shops.

Conheça três sex toys que podem tornar um momento sozinha ou acompanhada ainda mais criativo:

Vibrador líquido

Se você conhece o jambu, provavelmente já experimentou a cachaça feita com essa planta da região Norte do Brasil. E o efeito é a parte mais interessante: o jambu costuma “tremer” na boca. E não seria diferente para os géis vendidos em sex shop: o gel causa uma sensação de formigamento, bem parecida com a vibração, por isso o nome se popularizou como vibrador líquido.

Vibrador líquido
Vibrador líquido | Foto: Reprodução

Velas aromáticas

Parece simples e sem muita novidade, mas essas velas vendidas nas lojas de produtos sensuais possuem um diferencial: a cera que derrete depois que a vela é acesa se transforma em um óleo para ser usado no corpo. E não precisa se preocupar, pois o produto não queima em contato com a pele, como acontece nas velas tradicionais

Vela aromática
Vela aromática | Foto: Reprodução/Internet

Melzinho

O estimulante natural ficou conhecido como “Melzinho” por conta da sua composição, que é em grande parte composta por mel e outros componentes naturais. O produto é vendido em sachê e a recomendação é que seja ingerido duas horas antes da transa, prometendo um sexo com mais energia e excitação

Melzinho
Melzinho | Foto: Reprodução/Internet

Cuidados

Segundo o sexólogo Sebastião Nascimento, procurar informações a respeito dos produtos é fundamental para evitar danos na região pélvica.

”É de extrema importância a procura por informações a respeito do produto que se pretende usar, saber se ele é liberado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), por exemplo. Em relação aos géis, a maioria dos ginecologistas recomenda que somente os lubrificantes à base de água sejam inseridos no canal vaginal”, explicou o sexólogo.

Ainda de acordo com Nascimento, não há problemas no uso do mel e do gel de jambu, mas somente de forma superficial.  Além disso, as mulheres devem conversar, frequentemente, com profissionais da saúde sobre o uso desses produtos, e manter os exames em dia.