O governador Gladson Cameli falou sobre a movimentação da base do governo, que tenta ampliar o período de investigação do requerimento que propõe a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito. A CPI visa apurar irregularidades na Secretaria de Educação.

Segundo o chefe do Poder Executivo, o governo deseja que sejam investigados o supostos atos de corrupção na pasta da educação.  “Sou totalmente a favor da transparência e tirar as dúvidas que for necessário. Se tem uma coisa que não vou pactuar, seja até de pessoas próximas a mim, é com qualquer tipo de conduta e situações que podem colocar em dúvida a credibilidade do governo”, afirmou.

Cameli destacou que fez a orientação à sua base para que a investigação seja ampliada. “O que eu fiz foi o seguinte: qualquer CPI que for instalada deve ser feita de forma abrangente. Eu não quero ela exclusivamente para um setor e um determinado período, ela tem que ter uma bola de neve, não quero ela no metro quadrado que está”, declarou. Gladson disse ainda, que se a investigação continuar da forma atual, será apenas politicagem.

Informações dão conta de que interlocutores do Palácio Rio Branco estariam tentando realizar uma manobra para que parlamentares que assinaram a CPI desistissem da investigação. Entretanto, o líder do governo, deputado estadual Pedro Longo (PV), negou qualquer manobra política nesse sentido.