MARIANA ARRUDAS (FOLHAPRESS) – Uma escritora curiosa que passa o dia observando os vizinhos. A história ficcional de suspense tem tudo para prender o público. Não pelas imagens tensas, mas por sua narração. Escrito por Bernardo Barcellos e produzido por Marina Person e Gustavo Rosa de Moura, o podcast Oculto conta uma situação atípica envolvendo os amigos Rosa e Michel.

Rosa, interpretada pela também coprodutora Bianca Comparato, é a escritora de romances policiais e uma curiosa de mão cheia nos tempos vagos. Passa os dias bisbilhotando a vida dos moradores do prédio da frente, onde seu amigo, Michel, vivido por Gabriel Leone, mora. “Michel acaba se envolvendo nesse mistério justamente por causa da amizade com a Rosa e do interesse nela”, diz o ator.

Produtores, assim como os atores, já eram acostumados a fazer produções em vídeo, mas afirmam que sempre tiveram vontade de fazer um podcast, apesar de ser um desafio “trabalhar só com parte dos recursos que temos”, brinca Person.

Sem as imagens, a equipe teve que se esforçar em dobro na descrição das cenas para que a história prendesse a atenção do ouvinte. “A premissa de dois amigos conversando boa parte do tempo pelo telefone, sobre acontecimentos misteriosos, me pareceu perfeita para isso”, diz Barcellos.

“Além disso, tem toda uma espacialização do som”, explica Moura que recomenda ouvir a história com fones de ouvido.

“O podcast, assim como a literatura, não oferece a imagem com aquela história, então estimula a imaginação”, afirma Person.

O diretor conta que a trama foi inspirada em obras de suspense como “Janela Indiscreta” (1954), “Um Tiro na Noite” (1981), “A Conversação” (1974), “O Bebê de Rosemary” (1968) e nos podcasts ficcionais Homecoming, Motherhacker e Passanger List.

O trabalho foi o primeiro podcast ficcional de toda a equipe, já que o formato não é muito trabalhado no Brasil. Moura destaca que no país a produção de “mesacasts” (podcats opinativos) e podcasts de notícias sobressaem a produção de podcasts roteirizados.

“Gostei do suspense que o roteiro tem, principalmente no que diz respeito a Rosa”, afirma Comparato. “O Michel é um cara muito reconhecível”, acrescenta Leone, “além de ser divertido e engraçado, tem essa face de identificação”.

O ator já havia trabalhado em podcasts como o [Re]discover, um projeto da Amazon Music Brasil, e comenta que a produção “me fez um bem muito grande e trouxe esse desafio de interpretar só através da voz”.

Person e Moura, além do Oculto, possuem outros dois podcasts também na Orelo, o Nosso Podcast de Cinema e o Curto-Circuito, que conta com a economista Laura Carvalho. Além desses projetos, a dupla já havia feito o podcast Entretanto.

Depois de oito episódios, a trama continua misteriosa e traz ao ouvinte “o ‘gostinho’ de quero mais até o final”, avalia Moura. A equipe quer continuar com o projeto, para terminar a história de Rosa, Michel e de seu vizinho misterioso.

“E como os episódios não são tão longos, é mais simples de maratonar”, completa o produtor. “Quem sabe pode virar uma série ou um filme? Uma coisa assim. Tenho muito essa vontade de me dedicar ao Oculto neste momento”, afirma Comparato.

PRODUÇÃO E CONSTRUÇÃO DA HISTÓRIA

O projeto foi gravado inteiramente na pandemia e cada integrante da equipe estava em um lugar diferente. “Bianca em Los Angeles, Gabriel no Rio de Janeiro, Bernardo em São Paulo e eu no litoral de São Paulo. Não tinha ninguém nem na mesma cidade”, conta Moura.

Ele diz que as gravações foram feitas em estúdios improvisados, em guarda-roupas. “É meio doido, você toma café, se arruma para trabalhar e entra no armário”, relembra Comparato.

Além disso, Moura conta que as leituras das cenas e direções aconteceram por chamadas online. “Fizemos uma grande sessão de Zoom, cada um num lugar. E aí cada um gravava separado, em um gravador profissional e mandava os arquivos pela internet”.

Comparato conta que já tinha tido uma experiência trabalhando com som em casa: “Dublei para o inglês ‘3%’ (2016), a série que faço para a Netflix. Eles me mandaram o equipamento e eu preparei um estúdio”.

Já Leone desenvolveu muito seu interesse pela música durante a pandemia e diz que isso o ajudou com as gravações. “Foi bem interessante para mim, especialmente em um momento que eu fiquei quase um ano sem trabalhar”, comenta.

Sobre a história, Barcellos diz que construiu os protagonistas “a partir da relação de cada um com o medo e o desconhecido”. “Rosa é uma escritora, imaginativa e curiosa, que se atrai pelo desconhecido, o que não quer dizer que não sinta nenhum medo”, explica. “Ela deseja conhecer o desconhecido para ter o máximo de controle”.

“Michel verbaliza seu medo e sua aversão ao desconhecido, mas é melhor resolvido com isso”, continua ele. “Queria que os dois fossem personagens complementares e que pudesses levar a história para frente”. Além disso, optar por escrever um suspense foi algo pensado.

Moura diz que “é um gênero muito bom porque ele facilita a criação dos ganchos e o envolvimento, é difícil você prender a atenção de uma pessoa só pelo som”. “Uma história contada em áudio está em constante disputa com os acontecimentos do mundo ao redor, então precisa ter a capacidade de ‘sequestrar’ a atenção de quem ouve”, completa Barcellos.

Por fim, a dupla de produtores conta que o formato podcast foi escolhido por vontade de criar esse conteúdo e também como uma maneira de buscar saídas para uma crise que o audiovisual passa desde 2018. “O audiovisual tomou muitas pancadas e várias dos nossos projetos pararam”, diz Moura.

“O que sobra é se reinventar, buscar. Não parar, resistir de alguma maneira, criar novas linguagens e novas formas”, completa Comparato, que, além do Oculto, estreou a peça

“Cara Palavra”, durante a quarentena. A montagem foi dirigida por Pedro Brício e é uma espécie de sarau de poetas brasileiras.

Produzida e exibida de maneira virtual, a peça também teve nomes como Mariana Ximenes, Débora Falabella e Andréia Horta. “Passei três meses preparando isso, remotamente também dos Estados Unidos, tudo ano passado”.
Agora Bianca tem projetos que serão gravados no Brasil.

“Esse ano tenho duas séries e um longa para fazer, mas tudo está suspenso. A situação do nosso país está muito grave e eu fico muito preocupada, é difícil falar de planos agora”, afirma.

Person e Moura desejam continuar com novos podcasts. “A ideia é fazer mais ainda, percebemos que é um exercício muito bom para nós, de continuar a trabalhar a dramaturgia”, afirma.

Para os ouvintes, resta torcer para que Oculto volte com a resolução dos mistérios que os vizinhos curiosos ainda não conseguiram resolver, já que a série termina com um gancho aberto para uma próxima temporada.