SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Os treinos livres do Grande Prêmio de Portugal de Fórmula 1 realizados nesta sexta-feira (30) foram marcados pela liderança da Mercedes, a estreia de um piloto na categoria e problemas com tampas de bueiros, o que atrasou a parte final do evento.

Na primeira parte da sessão, o finlandês Valteri Bottas, da Mercedes, que havia abandonado o GP da Emilia Romagna após um choque com George Russel, superou por pouco Max Verstappen, da Red Bull, e garantiu o melhor tempo entre os 20 pilotos.

Bottas fez 1m19s648, enquanto Verstappen anotou 1m19s673. Sergio Perez, parceiro do holandês na Red Bull, fechou o top 3, com 1m19s846, seguido da Ferrari de Charles Leclerc, que marcou 1m19s884.

Lewis Hamilton, companheiro de equipe de Bottas, ficou apenas na quinta colocação da sessão, com tempo de 1m19s967. Pierre Gasly, Russell, Lando Norris, Carlos Sainz e Esteban Ocon fecharam o grupo dos dez primeiros colocados.

Um dos destaques da etapa ficou para Callum Ilott, vice-campeão da F2 no ano passado. Ele estreou na categoria e substituiu Antonio Giovinazzi, da Alfa Romeo, fazendo volta mais rápida do que Mick Schumacher, Nicholas Latifi e Nikita Mazepin.

Já a parte final, liderada por Hamilton (1m19s837), seguido de Verstappen e Bottas, ficou marcada por problemas na pista. Assim como no ano passado, algumas tampas de bueiro estavam soltas e precisaram ser reparadas pelos responsáveis pelo GP, o que atrasou o início da etapa em dez minutos.

Com bandeira verde, coube a Mazepin protagonizar uma das poucas cenas relevantes da sessão: o russo perdeu o controle do carro e saiu da pista ainda nos cinco primeiros minutos -ele, no entanto, não chegou a bater.

Ainda houve tempo para Kimi Raikkonen, Yuki Tsunoda e Hamilton derraparem em uma das curvas do circuito, mas sem terem maiores problemas.