A campanha Maio Amarelo tem como tema “Respeito e Responsabilidade: pratique no trânsito”. O objetivo é promover a empatia e a humanização das estatísticas de acidentes de trânsito e chamar atenção sobre como a impaciência e a intolerância refletem nas atitudes das pessoas quando estão dirigindo.

O movimento Maio Amarelo nasceu em 2014 e fomenta uma ação coordenada entre o poder público, iniciativa privada e sociedade civil para discutir o tema segurança viária com o objetivo de reduzir os acidentes e mortes no trânsito. Apesar da redução do número de mortes nos últimos anos, o trânsito brasileiro ainda mata milhares de pessoas todos os anos. Em 2019, quando foi divulgado o último levantamento pelo Ministério da Saúde, foram mais de 31.945 vidas perdidas.

A Confederação Nacional do Transporte (CNT), por meio do Serviço Social do Transporte (Sest) e do Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat) também são apoiadores centrais da ação. Para as entidades, é importante a união de forças de toda a sociedade para a causa. “Afinal, enquanto apenas um pedestre, ciclista, motorista, passageiro ou motociclista estiverem desrespeitando as regras, todos estarão em risco”, destacou, em comunicado.

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) é um dos agentes do movimento no âmbito do governo federal e, para evitar aglomerações no contexto da pandemia de covid-19, vai promover ações digitais pelas redes sociais e sites com o tema “No trânsito, sua responsabilidade salva vidas”. Entre as ações previstas, está o incentivo pela utilização das passarelas, faixas elevadas e faixas de pedestres, assim como alertar os condutores sobre sinalizações e cuidados com os vulneráveis no trânsito (pedestres, motociclistas e ciclistas), dando destaque à responsabilidade de todos os atores sociais envolvidos.

Inf.: AgênciaBrasil