SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A rede britânica BBC pediu desculpas nesta quinta-feira (20) por ter obtido de forma escusa e antiética uma entrevista com a princesa Diana (1961-1997) em 1995, na qual ela revelou detalhes íntimos de seu casamento que abalaram a imagem da família real.

A emissora pediu a abertura de uma nova investigação sobre o caso em novembro do ano passado, 25 anos depois de o programa ir ao ar. O irmão de Diana, Charles Spencer, disse que havia sido enganado para apresentá-la ao repórter Martin Bashir. O relatório, publicado nesta quinta, concluiu que o jornalista agiu de forma enganosa e que a emissora, na primeira investigação formal, encobriu o caso.

“O sr. Bashir o induziu a marcar um encontro com a princesa Diana”, diz o relatório assinado pelo ex-juiz da Suprema Corte britânica John Dyson, que conduziu a investigação. “O sr. Bashir agiu de forma inadequada, violando gravemente a edição de 1993 das Diretrizes dos Produtores sobre negociação direta.”

Em nota, a BBC disse ter havido falhas evidentes na apuração das irregularidades e que devolveria os prêmios que o programa recebeu, incluindo um Bafta, a maior premiação da TV e do cinema britânicos, ganho em 1996. “Embora a BBC não possa voltar no tempo depois de um quarto de século, podemos fazer um pedido de desculpas completo e incondicional”, diz o comunicado assinado pelo diretor-geral da emissora, Tim Davie. “Está claro que o processo para garantir a entrevista ficou muito aquém do que o público tem o direito de esperar. Lamentamos muito por isso.”

À época, o programa “Panorama”, que segue no ar até hoje, foi visto por mais de 20 milhões de pessoas no Reino Unido. O país assistiu a Diana falar sobre detalhes de seu casamento com o herdeiro do trono, o príncipe Charles, filho da rainha Elizabeth 2ª, e admitir que ela mesma teve um caso fora do matrimônio.

Foi a primeira vez que Diana, que se divorciou em 1996 e morreu em um acidente de carro em Paris em 1997, fez comentários públicos sobre a ruína de seu casamento com Charles. “Éramos três neste casamento, então foi um pouco lotado”, disse, em referência à relação extraconjugal do marido com Camilla Parker Bowles, que viria a se tornar sua segunda esposa em 2005.

O relatório de Dyson concluiu que Bashir, até então um repórter pouco conhecido, mostrou extratos bancários falsos ao irmão de Diana que sugeriam que agentes de segurança estavam sendo pagos para manter a princesa sob vigilância. O argumento teria persuadido Spencer a marcar a entrevista.

Depois que o programa foi ao ar, Bashir mentiu repetidamente a seus chefes sobre os métodos de obtenção da entrevista, segundo o relatório da investigação. Ele disse, por exemplo, que não havia mostrado os extratos falsos a ninguém. Dyson classifica parte dos relatos de Bashir à época de “não críveis, não confiáveis e, em alguns casos, desonestos”.

Mesmo com mais questionamentos em torno da entrevista, os gerentes da BBC não examinaram a versão do repórter de maneira adequada, conduziram uma apuração interna de forma “lamentavelmente ineficaz” e encobriram fatos sobre o processo. “Sem justificativa, a BBC ficou aquém dos altos padrões de integridade e transparência que são sua marca registrada”, diz o relatório.

A conversa com Diana impulsionou a carreira de Bashir e, mais tarde, ele passou a conseguir outras entrevistas com celebridades, como o cantor Michael Jackson (1958-2009). O astro do pop também chegou a apresentar uma queixa ao órgão regulador do setor audiovisual britânico, acusando Bashir de ter construído e transmitido uma imagem distorcida de seu comportamento e de sua conduta como pai.

Bashir continuava trabalhando na BBC como editor de assuntos religiosos, mas deixou o cargo e a emissora na semana passada, alegando problemas de saúde. Em um comunicado, desculpou-se pelas declarações falsas, classificou-as como uma “coisa estúpida”, mas disse que elas não foram decisivas para que Diana aceitasse a entrevista, da qual ele permanece “imensamente orgulhoso”.

O relatório da investigação inclui uma nota manuscrita de Diana, redigida um mês após a entrevista, na qual ela disse não se arrepender dos comentários e que Bashir não havia lhe mostrado nenhuma informação sobre a qual ela já não tivesse conhecimento prévio.

Dyson levou o documento em consideração. “Por seu comportamento enganoso, o sr. Bashir conseguiu engendrar a reunião que levou à entrevista”, afirma o relatório. “Mas é importante acrescentar que a princesa Diana provavelmente teria concordado em ser entrevistada.”