Com o objetivo de promover o desenvolvimento pessoal e a orientação quanto a direitos, identidades e cultura diversificada da mulher indígena, o Gabinete da Primeira-Dama Ana Paula Cameli abraçou o projeto Fortalecendo Mulheres Indígenas no pós-pandemia da Covid-19.

Nesta segunda-feira, 24, a primeira-dama, Ana Paula Cameli, acompanhada da senadora, Mailza Gomes, participou de uma reunião para conhecer o projeto que tem como finalidade promover o conhecimento e mentoria para a operacionalização de estratégias de produção, comunicação e comercialização de artesanato, alimentos, artes indígenas e cultura, garantindo a autonomia e fortalecimento econômico dos povos.

Serão realizadas oficinas de arte indígena, produção artesanal de cosméticos, capacitação para uso de sites, fotografia e mídias sociais. Foto: Pedro Devani/Secom

“Agradeço o empenho de todos neste trabalho. Projetos como esses chegam na ponta, meu foco é ajudar essas mulheres buscando principalmente sua autonomia”, destacou a primeira-dama, Ana Paula Cameli.

O projeto recebeu a emenda parlamentar da senadora Mailza Gomes, no valor de R$1,7 milhão e é uma parceria entre Secretaria de Estado de Assistência Social, dos Direitos Humanos e de Políticas para as Mulheres (SEASDHM), Companhia de Desenvolvimento dos Serviços Ambientais do Acre, Comitê Regional e Global para Povos Indígenas e Populações Tradicionais e conta com o apoio do Gabinete da Primeira-Dama.

Projeto recebeu a emenda parlamentar da senadora Mailza Gomes, no valor de R$1,7 milhões. Foto: Pedro Devani/Secom

“Esse projeto vai valorizar as mulheres indígenas, a sua cultura e o seu artesanato. As mulheres precisam desse incentivo”, enfatizou a senadora Mailza Gomes.

O projeto pretende alcançar mais de 400 mulheres de 10 povos diferentes, com oficinas de arte indígena, produção artesanal de cosméticos, capacitação para uso de sites, fotografia e mídias sociais.

“Iremos fortalecer a cultura, a economia da mulher indígena. Os cursos servirão para auxiliar as mulheres quanto as novas tecnologias”, finalizou a representante Global dos Povos Indígenas, Francisca Arara.

Iniciativa pretende alcançar mais de 400 mulheres de 10 povos diferentes. Foto: Pedro Devani