SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O Departamento de Polícia de Gilford, no estado de New Hampshire (EUA), afirmou nesta terça (25) ter um mandado de prisão contra Marilyn Manson. Segundo informado pela NBC News, o pedido de detenção do cantor envolve duas acusações de agressões ocorridas em 2019.

Em 18 de agosto daquele ano, Manson fez um show no local. Um cinegrafista contratado por uma empresa local para gravar a apresentação teria sido vítima de um suposto ataque do cantor, que teria cuspido nele.

O mandado de prisão foi emitido em 8 de outubro de 2019, mas só se tornou público nesta terça (25), em comunicado que a Polícia de Gilford publicou em seu Facebook.

“Sr. Warner, seu agente e advogado estão cientes do mandado há algum tempo e nenhum esforço foi feito por eles para retornar a New Hampshire e responder às acusações pendentes”, diz a publicação que se refere ao cantor pelo seu nome verdadeiro, Brian Warner.

O advogado de Manson disse à NBC News que a acusação é “ridícula”, mas que eles estão comprometidos em cooperar com as autoridades. “Não é segredo para ninguém que assistiu a um show do Marilyn Manson que ele gosta de ser provocador no palco, especialmente na frente de uma câmera”, afirmou Howard King.