Após a operação da Polícia Federal do Acre ocorrida na manhã desta terça-feira, 25, o atual prefeito de Cruzeiro do Sul, Zequinha Lima, se manifestou por meio de nota acerca das diligências policiais no município, cujo um dos alvos seria o atual secretário administração da prefeitura de Cruzeiro do Sul, João Pereira, e a irmã do ex-prefeito Ilderlei Cordeiro, a advogada Idelcleide.

Lima assegura que até agora as ações tratam-se de uma ampla investigação sobre supostas ilegalidades feitas na gestão passada, referentes a um contrato firmado com a Fundação Cultural e de Comunicação Valença (FCCV). Existe também uma investigação sobre contratos referentes à enchente no ano de 2017.

“Quanto à nossa gestão, iniciada em 2021, o que sabemos até agora é que existe, também, uma investigação sobre contratos feitos para aquisição de serviços durante a cheia desse ano. E sobre esse assunto, quero deixar claro que considero fundamental que exista tal investigação, já que estamos buscando trabalhar com honestidade e transparência”, afirma.

O gestor ressalta que é um dos maiores interessados que se investigue. “Faremos tudo que estiver ao nosso alcance para ajudar a justiça a elucidar essa questão. Tomaremos as medidas necessárias de forma imediata, não descansaremos até que tudo esteja plenamente esclarecido”.

Zequinha diz acreditar na política séria e feita com o intuito de cuidar da cidade e das pessoas. “Na enchente desse ano fizemos um trabalho que muito me orgulha. Enfrentamos todos os desafios e tratamos das mais diversas situações vividas por milhares de pessoas que, naquele momento, precisavam de uma mão estendida. Agora, a busca pela transparência e pelo uso correto do dinheiro público é algo que não abrimos mão”, destaca.

Ele finaliza a nota dizendo esperar que se investigue e que logo tenham uma conclusão rápida de todos os fatos. “Ninguém é culpado de véspera e ninguém está acima da justiça”, conclui.