SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O escritor e crítico literário Antonio Fernando de Franceschi morreu, aos 79 anos, nesta segunda (31). A causa da morte não foi revelada.

Franceschi é autor dos livros “Tarde Revelada”, “Caminho das Águas”, “Fractais”, “A Olho Nu”, “Cinco Formas Clássicas”, “Sete Suítes” e “Sal”.

O autor, cujos poemas lhe renderam prêmios Jabuti e da APCA, a Associação Paulista de Críticos de Arte, era formado em filosofia pela Universidade de São Paulo. Foi diretor do Masp, o Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, entre os anos de 1993 e 1994, e ocupou o cargo de superintendente do Instituto Moreira Salles, o IMS, por 15 anos.
Foi Franceschi quem criou a série “O Escritor Por Ele Mesmo” e os “Cadernos de Literatura Brasileira”, ambos do IMS.

“Na sua gestão [no IMS], incorporou ao instituto acervos de fotógrafos importantes como Marc Ferrez, Marcel Gautherot, José Medeiros e Maureen Bisilliat. Na área de literatura, atraiu arquivos valiosos de Lygia Fagundes Telles, Otto Lara Resende, Rachel de Queiroz, Carolina Maria de Jesus e Clarice Lispector”, afirma uma nota publicada nas redes sociais do IMS em homenagem ao poeta.

“Também cuidou da guarda do acervo Pixinguinha. Ainda na área de música, trouxe o acervo de Ernesto Nazareth, além das coleções de discos de Humberto Franceschi e José Ramos Tinhorão.”
O enterro de Franceschi aconteceu nesta terça (1º), no Cemitério do Morumbi, na capital paulista.