Surgem as primeiras imagens dos locais atingidos por ataques aéreos, entre sábado e domingo, perto do aeroporto de Cabul, que terá vitimado, pelo menos, nove membros de uma família.

De acordo com a Al Jazeera, que cita testemunhas no local, morreram, pelo menos, três crianças, ao passo que outros órgãos mencionam seis crianças, membros de uma família de nove pessoas que perderam a vida (pode ver imagens mais abaixo, no texto).

A agência afegã ToloNews reviu hoje o número de vítimas mortais para 10.

Recorde-se que há relatos de dois ataques: um ataque norte-americano com um drone contra um veículo, no sábado, e um foguete que atingiu uma casa. O segundo ataque, no domingo, ocorreu quando um foguete disparado de um local desconhecido atingiu uma casa numa área residencial, também perto do aeroporto de Cabul.

As autoridades ainda não esclareceram se os eventos estavam ligados.

9 killed by U.S rocket attack today in Kabul, who are they?

1: Zemaray, Interpreter
2: Naseer, Army officer
2: Zameer, Shopkeeper
4: Faisal, Student
5: Farzad, Student
6: Ayat, 2 years old
7: Sumaya, 2 years old
8: Armin, 4 years old
9: Binyamen, 3 years old pic.twitter.com/pRajIF00Yd

— Muslim Shirzad (@MuslimShirzad) August 29, 2021

O Comando Central dos Estados Unidos (CENTCOM, sigla em inglês) admitiu já que tem conhecimento de “relatos de mortes civis” no sequência do ataque com drone, que garante ter aniquilado “vários suicidas”, que se dirigiam para o aeroporto de Cabul.

New footage from the site of yesterday’s US drone strike in Kabul. #Afghanistan pic.twitter.com/07iKUvNsgQ

— FJ (@Natsecjeff) August 30, 2021

O Pentágono anunciou, no sábado, que matou “dois elementos importantes” do grupo terrorista Estado Islâmico.

Os Estados Unidos tinham referido apenas a morte de um membro do Estado Islâmico no ataque desencadeado em represália contra o atentado terrorista que na quinta-feira matou pelo menos 170 pessoas, incluindo 13 soldados norte-americanos, junto ao aeroporto da capital afegã, Cabul, onde se concentram os esforços de retirada de civis e militares face ao avanço dos fundamentalistas talibãs.