Criminosos fortemente armados abordaram pedestres e motoristas na madrugada desta segunda-feira (30). PM isolou ruas e orienta que os moradores não saiam de casa até que a situação esteja controlada, pois há explosivos espalhados pela cidade.

Criminosos fortemente armados atacaram três agências bancárias no Centro de Araçatuba (SP), no início da madrugada desta segunda-feira (30). Pelo menos três pessoas morreram, segundo a Polícia Civil, sendo dois moradores e um criminoso. Dois suspeitos foram presos.

A ação criminosa em Araçatuba, cidade na região noroeste de SP com cerca de 200 mil habitantes, durou duas horas, entre ataque às agências, tiroteio e fuga.

Resumo:

Veja a ação dos criminosos em Araçatuba (SP) — Foto: Arte G1

Veja a ação dos criminosos em Araçatuba (SP) — Foto: Arte G1

Após o ataque às agências, o grupo com cerca de 20 criminosos em dez carros abordou pedestres e motoristas e os fizeram reféns na cidade. Eles também cercaram bases da Polícia Militar e viaturas.

Em vídeos que circularam nas redes sociais, algumas vítimas aparecem em uma espécie de “escudo humano” dos criminosos e sobre carros. Outras imagens mostram eles atirando pela cidade (veja o vídeo acima).

Criminosos armados fizeram moradores de Araçatuba (SP) reféns após ataque a banco — Foto: Arquivo pessoal

Criminosos armados fizeram moradores de Araçatuba (SP) reféns após ataque a banco — Foto: Arquivo pessoal

Quatro pessoas foram socorridas com ferimentos e levadas à Santa Casa de Araçatuba. Uma deles foi um homem de 25 anos que teve os dois pés amputados após acionar um explosivo. Veja a situação dos feridos:

  • Homem de 28 anos: baleado no abdome, segue em atendimento e avaliações, projetil não alojado; quadro clínico: estável;
  • Homem fr 31 anos: baleado na face e braços; precisou ser intubado, quadro clínico grave, porém estável;
  • Homem de 38 anos: baleado nas pernas, braços e cabeça (raspão); precisou ser intubado; quadro clínico grave, porém estável;
  • Homem de 25 anos: sofreu amputações traumática nos dois pés por explosivo; foi para o centro cirurgia de ortopedia, está intubado.

Ainda conforme o hospital, nenhum policial deu entrada com ferimentos.

Como os criminosos agiram

Para monitorar os policiais, os criminosos contaram com o auxílio de um drone. Eles também fecharam algumas entradas da cidade com veículos em chamas para evitar que equipes chegassem ao local, segundo a polícia.

Parte dos criminosos fugiu em direção ao bairro Taveira, área rural, onde houve confronto com a polícia. Um criminoso morreu e outro, baleado, foi levado à Santa Casa.

A quadrilha abandonou veículos usados no crime e roubou outros de moradores para fugir. Moradores também relataram que encontraram explosivos e munições nas ruas da cidade. A PM informou que ao menos 14 pontos foram identificados com explosivos.

Lojas também ficaram danificadas. A rua Luiz Pereira Barreto, onde mais de dez explosivos foram encontrados, precisou ser interditada.

A Polícia Militar orientou que os moradores não saiam de casa até que a situação esteja totalmente controlada, pois os explosivos podem ser acionados por calor ou movimento. Policiais do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foram chamados para desativar os explosivos.

Criminosos contaram com auxílio de drone para monitorar policiais em Araçatuba (SP) — Foto: Arquivo pessoal

Criminosos contaram com auxílio de drone para monitorar policiais em Araçatuba (SP) — Foto: Arquivo pessoal

Devido à gravidade da ocorrência, o Batalhão de Ações Especiais da Polícia (Baep) de São José do Rio Preto (SP) também foi acionado.

“É uma sensação horrível, um horror. Moro a poucas quadras do Centro. Ouvi todos os tiros, acompanhando através de vídeos. Não saí de casa e peço à população que fique em casa”, disse o prefeito Dilador Borges.

“Quando iniciou tudo isso, sentimos o drama que seria nossa noite, entrei em contato com o governador João Doria, que através do secretário de Segurança disse que viria reforço de Rio Preto, Bauru e Prudente”, completou Borges.

Loja em Araçatuba (SP) ficou danificada após ataque de bandidos — Foto: Márcio Zeni/Divulgação

Loja em Araçatuba (SP) ficou danificada após ataque de bandidos — Foto: Márcio Zeni/Divulgação

Munições ficaram espalhadas em ruas de Araçatuba (SP) após ataque — Foto: Márcio Zeni/TV TEM

Munições ficaram espalhadas em ruas de Araçatuba (SP) após ataque — Foto: Márcio Zeni/TV TEM

Criminosos atearam fogo em veículos para evitar que policiais cheguem ao local do ataque — Foto: Arquivo pessoal

Criminosos atearam fogo em veículos para evitar que policiais cheguem ao local do ataque — Foto: Arquivo pessoal

Repercussão na web

Ainda durante a madrugada, o ataque ganhou repercussão nas redes sociais. No Twitter, internautas compartilharam imagens e relatos do crime.

Bandidos atacam agência bancária e fazem reféns em Araçatuba (SP)

Bandidos atacam agência bancária e fazem reféns em Araçatuba (SP)

“Aflição total, meu Deus, oremos por todas essas pessoas que estão sendo feitas de reféns nesse mega assalto aqui em Araçatuba”, escreveu um internauta.

“Está acontecendo um assalto enorme. Reféns estão sendo usados como escudo humano. Que loucura, parece um filme. Que Deus proteja a todos”, disse outro.

Outro ataque em 2017

Em 2017, Araçatuba viveu momentos de terror em um mega-assalto a uma empresa de valores da cidade. Na época, cerca de 30 criminosos incendiaram veículos para bloquear a saída de viaturas do quartel da Polícia Militar, que fica perto do local do roubo.

Os suspeitos também atiraram contra a entrada do quartel para impedir a saída dos policiais, e houve troca de tiros. Na sequência, outro grupo foi até a empresa de valores e usou dinamite para explodir o prédio.

O policial civil André Luís Ferro da Silva, do Grupo de Operações Especiais (GOE), estava de folga no dia e foi baleado durante a ação e morreu. Além do policial, duas mulheres ficaram feridas durante a ação atingidas por estilhaços de balas.

Os criminosos também usaram um caminhão canavieiro para bloquear a pista da Rodovia Marechal Rondon, no sentido de Birigui (SP) a Araçatuba. O grupo rendeu o motorista e deixou o veículo atravessado na pista, depois o incendiaram, impedindo a chegada da polícia.

O Ministério Público denunciou em 27 de agosto de 2018 um total de 18 pessoas, sendo que 15 por latrocínio consumado, latrocínios tentados, incêndio e explosão. E outros três, além desses crimes, por associação criminosa.

Terror em Botucatu

Um ataque parecido foi registrado em Botucatu (SP), em julho do ano passado. Pelo menos 40 criminosos mascarados, fortemente armados e com coletes à prova de balas, participaram do crime.

Os bandidos armados atacaram agências bancárias da cidade e policiais ficaram feridos na troca de tiros com os criminosos. Segundo a polícia, após o crime, os bandidos fizeram moradores reféns e os usaram como “escudo humano”.