CUIABÁ, MT (FOLHAPRESS) – Um dia após uma professora ter sido afastada por ter sido gravada criticando o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) numa aula, um helicóptero do Ciopaer (Centro Integrado de Operações Aéreas) de Mato Grosso sobrevoou o colégio particular Notre Dame de Lourdes nesta quinta-feira (2), em Cuiabá.

Durante o sobrevôo sobre o pátio da escola, os militares acenaram e empunhavam uma bandeira do Brasil. A aeronave ficou alguns minutos sobrevoando o local, antes de se retirar.

Diante do ocorrido, o juiz da 11ª Vara Especializada de Justiça Militar, Marcos Faleiros, pediu ao Ministério Público de Mato Grosso que investigue possíveis infrações militares e atos de improbidade.

O magistrado já havia, na semana passada, comunicado o comandante geral da Polícia Militar para que avisasse aos militares sobre condutas nos atos de 7 de Setembro em favor de Bolsonaro.

Segundo ele, “qualquer quebra da hierarquia ou comportamento subversivo às instituições democráticas” gerará “consequências graves e imediatas”.

Após a repercussão do caso, a Secretaria da Segurança Pública de Mato Grosso emitiu nota afirmando que atendeu um ofício da escola para participar das atividades da Semana da Pátria do colégio.

“Na ocasião, a bandeira do Brasil foi mostrada aos alunos sem nenhuma conotação política, mas no intuito de demonstrar o patriotismo nesta que é uma data importante para o país”, diz trecho da nota.

O documento ainda afirma que a Ciopaer esteve na terça-feira (31) na escola para a realização de uma palestra e orientações sobre o tema “segurança pública” e que sempre faz atividades sociais e educacionais, visitando entidades sociais e escolas públicas e particulares, com o objetivo de aproximar as forças de segurança e a população.

“Por fim, a Sesp-MT destaca que não coaduna com posicionamentos políticos no âmbito do serviço público e que qualquer excesso cometido pelos servidores da pasta neste sentido será motivo de medidas administrativas.”

Questionada se a aeronave sobrevoará outras escolas durante a semana, a assessoria disse não saber informar. Sobre o fato de a Ciopaer não ter feito as mesmas atividades no ano passado, a assessoria informou que elas não ocorreram por causa da pandemia, que fez com que as aulas fossem 100% remotas.

A escola Notre Dame de Lourdes afirmou, em nota, que o helicóptero da Polícia Militar de Mato Grosso que sobrevoou a escola faz parte de um pedido da própria direção, que estaria desde o dia 30 de agosto celebrando a Semana da Pátria junto aos alunos da educação infantil ao quinto ano do ensino fundamental.

“Dentro do projeto da educação infantil, os símbolos nacionais são trabalhados para sensibilizar os alunos sobre aquilo que forma nosso país, bem como as pessoas que contribuem para a existência da nossa Nação”, diz trecho da nota.

A escola ainda afirma que todos os anos realiza eventos envolvendo os símbolos pátrios. “O colégio Notre Dame de Lourdes tem 50 anos de tradição na educação pautada em princípios cristãos e éticos, voltados para a cidadania e para uma formação integral dos alunos. Em nenhum momento da sua trajetória envolveu-se com posicionamentos político-partidários e, ao mesmo tempo, nunca se furtou de propor aos alunos a discussão de ideias.”

Uma professora do ensino fundamental foi afastada por três dias pela direção da escola após ter sido gravada fazendo comentários em relação ao governo Bolsonaro. O fato revoltou pais de alunos.

No áudio, a professora criticava a política ambiental e indígena do governo federal. “Ele é a favor do desmatamento. Ele é a favor que os garimpeiros façam destruição dentro das terras indígenas. Além da destruição da natureza, está prejudicando o povo indígena. Os garimpeiros e o presidente da República são a favor disso. Temos que começar a pensar o que queremos para o nosso Brasil”, disse.

Ela também citou o fato de o presidente defender a volta do voto impresso.

“Por exemplo, a gente vota com a urna eletrônica, não tem como você roubar. Tem como roubar, se for no papelzinho. O que ele quer, ele quer que volte a votação pelo papelzinho que é para facilitar, né, pra ele fazer qualquer coisa que ele quiser. Pois é. Ele tem as pessoas que acompanham, é igual a torcedor de futebol, que torce lá pelo jogador. Ele tem a torcida dele, mas se for avaliar e investigar, quem são as pessoas seguidoras dele, são pessoas corruptas também, pessoas que fazem coisas fora da lei. Então, essas são as pessoas que ficam atraídas por ele, porque, por causa do pensamento dele, das coisas que ele fala, que ele faz, que é sempre contra a prosperidade do país, em ajudar. Nós estamos vivendo uma época de grande inflação, o que é isso, aumento de tudo”, completou.

O colégio informou que o afastamento se deu por causa dos comentários de caráter político-partidário em sala de aula, o que teria infringido artigo do código de ética assinado pelos funcionários, inclusive pelo corpo docente, após palestras de caráter formativo orientadas pelo setor jurídico.

“Diante do fato, a professora foi suspensa por três dias. A direção do Notre Dame de Lourdes reafirma que não apoia tal conduta e que a opinião expressada não reflete a posição da instituição.”