SÃO PAULO, SP (FOLHAPRES) – Com o aparato de segurança reforçado pela Polícia Militar no Distrito Federal e em São Paulo, os comandos militares locais acompanham na retaguarda os movimentos do 7 de Setembro, buscando discrição devido à sua óbvia exposição pela associação entre fardados e o governo de Jair Bolsonaro.

Na sexta (3), emissários do Comando Militar do Planalto procuraram empresários de comunicação em Brasília para reafirmar que não haverá apoio a quaisquer avanços autoritários do presidente que saiam do que eles chama de arroubos retóricos).