São Paulo (SP)- Um homem de 48 anos foi preso por cortar a genital de outro rapaz, matá-lo e arrastar o corpo até uma praia em Itanhaém, no litoral de São Paulo.

O crime aconteceu no dia 28 de agosto em uma pousada. Porém, a prisão só foi confirmada pela Polícia Civil na tarde desta quinta-feira (9).

De acordo com a polícia, o corpo da vítima, de 56 anos, foi encontrado na faixa de areia da praia, com sinais de violência, uma facada entre o tórax e o pescoço e com o órgão genital decepado.

  Várias manchas de sangue foram encontradas no quarto em que o suspeito se hospedou naquele dia. No local, os policiais também encontraram o órgão genital da vítima dentro de uma panela.  

Após a identificação do homem, a autoridade policial requereu junto ao Poder Judiciário a decretação da prisão temporária e realizar a prisão.

O acusado contou à polícia que teve uma desavença com a vítima no quarto da pousada.

Os dois faziam uso de cocaína e a vítima teria tentado ter relações sexuais com ele. Após recusar, ele disse que golpeou e matou o homem.

  Ainda de acordo com a Polícia Civil, o suspeito ainda tentou limpar o local do crime, mas não conseguiu e arrastou o corpo da vitima até a praia.  

O suspeito, que já possui antecedentes criminais por diversos crimes, dentre eles furto, roubo, receptação, ameaça e lesão corporal, foi encaminhado à Cadeia Pública de Peruíbe, cidade localizada também no litoral paulista.

Coração e pênis arrancados

Um detento da Penitenciária Estadual de Cruzeiro do Oeste (Peco), no Paraná, foi encontrado morto dentro da cela na última quarta-feira (18). O corpo do homem, de 30 anos, foi localizado por agentes penitenciários sem o coração e com o pênis cortado e colocado em sua boca.

O preso havia sido condenado por estupro contra a enteada de apenas cinco anos em Goioerê, no mesmo estado. 

De acordo com a Polícia Civil, o crime foi praticado por três colegas de cela. Um deles é apontado como responsável por executar o detento e os outros dois por ajudarem a segurá-lo.  

G1.com