Sensível com a dificuldade enfrentada pelos acreanos que utilizam o transporte aéreo para se locomover, o governador Gladson Cameli segue em busca de melhorias  para o setor. Nesta sexta-feira, 9, o gestor esteve reunido com executivos da Gol Linhas Aéreas e Voepass Linhas Aéreas, em São Paulo (SP), onde apresentou demandas e reforçou o apoio institucional do governo do Estado às companhias.

Um dos assuntos tratados diz respeito à ampliação de rotas. O governador pediu aos representantes da Gol o retorno de voos diretos entre a capital acreana e Porto Velho (RO), que estão suspensos desde 2019, assim como entre as cidades de Cruzeiro do Sul e Manaus (AM).

Ao governador, o vice-presidente Comercial e de Marketing, Eduardo Bernardes Neto, e o assessor direto da Presidência, Alberto Fajerman, asseguraram a retomada desses itinerários em até quatro meses. Outra garantia anunciada foi o crescimento de 70% para 90% na frequência de voos ao Acre já em setembro, com destaque para o aumento na oferta de mais viagens para Brasília (DF) e a capital do Amazonas.

“Em nossa região, o transporte aéreo não é luxo, mas uma necessidade. Fico muito feliz com os anúncios feitos pela Gol e que há muito tempo eram aguardados. A melhoria do setor aéreo é uma das prioridades do governo e demonstra o nosso respeito com a população, que muito em breve terá mais opções para voar”, argumentou Cameli.

Isso só está sendo possível com o avanço da vacinação contra a Covid-19 e da resposta positiva dada pelo mercado acreano. Levantamentos da própria companhia aponta o estado como um dos que mais demandou os serviços prestados pela Gol Linhas Aéreas.

Voo internacional e operação de nova companhia aérea

Com a concessão dos aeroportos de Rio Branco e Cruzeiro Sul para a iniciativa privada a partir do próximo ano, a empresa que administrará os dois terminais demonstra interesse em concluir o processo de internacionalização. Diante das boas perspectivas, Cameli solicitou que a empresa estude a viabilidade de estabelecer um voo semanal entre Manaus, Rio Branco e Lima, no Peru.

Implantação de voo internacional foi discutida e viabilidade será estudada no início de 2022 Foto: Cedida

“Os brasileiros têm muito interesse em conhecer o Peru, mas, no nosso caso, que moramos na Amazônia, a logística é muito complicada. Temos que vir até São Paulo e depois retornar para o nosso país vizinho. Sendo que de Rio Branco até Lima é uma hora de voo. Sem contar que da capital do Peru saem voos diários para várias cidades do mundo, o que facilitaria e muito a nossa conectividade”, explicou.

Por conta da pandemia, a Gol suspendeu todas as operações internacionais. Mas os executivos da empresa enalteceram a proposta apresentada pelo governador e afirmaram que o itinerário será colocado em análise no primeiro bimestre de 2022, período que marcará o retorno de voos da companhia para o exterior.

No caso específico da Voepass, aérea pertencente ao mesmo grupo da Gol, a empresa tem interesse de se instalar no Acre e oferecer voos regionais. Como forma de incentivo, o chefe de Estado citou a redução do percentual de cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no combustível para aviação em voos diurnos para incentivar a operação de novas companhias. A taxa, que é a menor do Brasil, caiu de 25% para apenas 3%.