A Chácara Aliança, em Rio Branco, acolhe 48 imigrantes que chegaram ao Brasil pelas fronteiras internacionais com o Acre. A maioria é de venezuelanos.

Além desse lar temporário e refeições, o governo do Acre presta auxílio para obtenção de CPF e carteira do SUS, que são importantes para a autonomia civil dos abrigados.

O Acre é rota de imigração desde 2010, quando houve uma grande migração de haitianos para o Brasil, após um terremoto atingir o Haiti. Desde então, outras nacionalidades identificaram na fronteira do Acre possibilidade de ingressar no Brasil em busca de dias melhores.

Nesta sexta-feira (10) técnicos do sistema direitos humanos estiveram no abrigo conversando com os imigrantes.