Não é segredo que a boa alimentação é fundamental para manter a saúde em dia, tanto física quanto emocional. Uma dieta balanceada pode beneficiar desde alívio à ansiedade até redução do risco de demência, conforme indicam estudos. Por isso, manter a atenção nos pratos é essencial para a qualidade de vida.

De acordo com pesquisas, a alimentação saudável sozinha pode reduzir o risco de desenvolvimento de diferentes tipos de demência em cerca de 53%, bem como diminuir o declínio cognitivo. Para a demência, em especial, existem algumas regras alimentares específicas que devem ser seguidas para manter a saúde mental; confira algumas delas a seguir. As informações são do jornal “The Times of India”.

Grãos integrais

Carboidratos não são vilões, e são tão essenciais quanto as proteínas e outras vitaminas para o corpo. Pelo menos três vezes ao dia, inclua no cardápio os grãos integrais, como aveia, trigo, cevada e arroz, ótimas opções para manter a saúde mental em dia. A importância desses alimentos está na riqueza de vitamina B, nutriente que reduz a inflamação no cérebro e preserva a memória.

Feijão também é um bom aliado e pode ser consumido mais de três vezes por semana.

Folhas verdes

As folhas verdes, principalmente as mais escuras, são ótimas fontes de nutrientes. Elas contêm vitamina C e K, ferro e antioxidantes, conjunto ideal para manter o cérebro saudável. Existem muitas opções para escolher, entre elas brócolis, espinafre, repolho, couve, acelga e rúcula. Pesquisas indicam que o consumo seis vezes por semana pode reduzir o risco de demência.

Bagas

De modo geral, as frutas são aliadas à saúde. As bagas, em especial, podem trazer bons resultados à saúde mental. Morangos, mirtilos, laranjas e uvas, são alguns exemplos ricos em antioxidantes flavonóides. Ingeri-las duas vezes por semana pode reduzir a inflamação e o estresse oxidativo, além de melhorar a comunicação entre as células cerebrais.

Peixe, frango e ovos

Para quem não tem restrição à alimentos de origem animal, vale incluir no prato semanalmente peixe, frango e ovos. O peixe contém ômega 3 e mantem as células cerebrais saudáveis, enquanto as aves possuem vitamina B e podem reduzir a inflamação no cérebro.

Nozes

Assim como os peixes, as nozes também são fontes de ácidos graxos ômega 3, além de conter vitamina E, que auxilia na saúde do cérebro na velhice. Tente comê-las pelo menos cinco vezes por semana para reduzir o estresse oxidativo causado pelos radicais livres.

O que evitar

Por outro lado, alguns alimentos podem te deixar mais vulnerável aos problemas relacionados à saúde mental, como demência, alterações de humor, depressão e ansiedade. Os “vilões” devem ser consumidos moderadamente, são eles: carne vermelha (menos de quatro vezes por semana), alimentos industrializados ou fritos (menos de uma vez por semana), queijo (uma porção por semana), doces (menos de cinco por semana), bebida alcoólica (apenas uma dose por dia).

Fonte: msn