Uma investigação interna conduzida pelo Instagram e obtida pelo The Wall Street Journal indica que a empresa está consciente do impacto que a rede social tem na saúde mental dos mais jovens.

“Tornamos as questões de imagem corporal pior para uma em cada três meninas”, diz uma das conclusões desta investigação. E mais, as conclusões referem que, em adolescentes americanos e ingleses, 40% diz que começou a se sentir pouco atraente após começar a usar o Instagram.

As conclusões do Instagram indicam que a rede social se tornou uma ferramenta de “comparação social” para meninas mais jovens que, expostas a fotografias de corpos idealizados (e muitas vezes irreais), são impactadas negativamente.

As conclusões da pesquisa vêm a público em um momento complicado para o Facebook, em que a empresa tem sido criticada fortemente por querer lançar uma versão do Instagram para crianças.