Em um campeonato de pontos corridos, o equilíbrio e a regularidade são essenciais para o sucesso de uma equipe. Diante disso, para um time conquistar o acesso à Série A é preciso não cometer deslizes ou deixar pontos preciosos pelo caminho. Durante toda campanha, o Vasco tem cometido erros cruciais e necessita de mudanças significativas para a reta final.

Na virada do turno, Lisca não conseguiu fazer a equipe engrenar e pediu demissão. Já naquela época, a defesa apresentava falhas coletivas e individuais. Com a chegada de Diniz, o time mostrou um certa evolução, estando mais compacto e com a presença de Nene. O meia trouxe qualidade na bola parada, nos passes e mais experiência.

Mesmo com essa pequena melhora, a fragilidade e a falta de atenção na defesa, assim como a falta de poder de fogo na frente voltaram a atormentar. O Cruz-Maltino abriu o placar, teve chance de ampliar, porém não conseguiu segurar os resultados dos últimos dois jogos. Os gols no fim diante de CRB e Cruzeiro mostraram os erros ainda são recorrentes.

– Pelo desempenho do time nos dois jogos eu não posso falar que estou frustrado, porque a equipe jogou pra vencer contra o CRB e o Cruzeiro. A gente conseguiu jogar com posse, dominando, quando precisou recuar a gente recuou e tivemos as melhores chances para fazer o segundo e o terceiro. Eles tiveram um lance no primeiro tempo, o gol e mais nada. Então a gente mereceu a vitória. Temos que continuar a acreditar, melhorar e vencer o próximo jogo – disse o treinador.

Nas últimas dez rodadas, o Vasco fez apenas 12 pontos, menos da metade do que estava em jogo (30). Uma campanha que deixa a equipe bem distante do G4, 10 pontos para o CRB. Na frente, Gabriel Pec perdeu a chance de sacramentar a vitória em Alagoas. No domingo, o time teve oportunidades, mas novamente voltou a perdê-las e o goleiro Fábio teve uma ótima atuação.

Fonte: Msn