SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Dezoito ex-jogadores da NBA (liga profissional de basquete dos EUA) foram presos nesta quinta-feira (7), acusados de fraudar o plano de benefícios de saúde e bem-estar da entidade em aproximadamente US$ 4 milhões (R$ 22 milhões).

Segundo informações da imprensa americana, até o fim da manhã desta quinta eles permaneciam detidos.

De acordo com a acusação, os jogadores apresentavam pedidos de reembolso falsos para serviços médicos e odontológicos que nunca foram realizados.

Apontado como líder do grupo, Terrence Williams recrutou outros ex-jogadores oferecendo faturas falsas em troca de propinas e ajudou três réus a obterem falsas cartas de necessidade médica, segundo a acusação.

Williams jogou por quatro equipes diferentes em quatro temporadas de 2009 a 2013.

Os outros acusados são Alan Anderson, Tony Allen e sua esposa Desiree, Shannon Brown, Will Bynum, Glen Davis, Chris Douglas-Roberts, Melvin Ely, Jamario Moon, Darius Miles, Milt Palacio, Ruben Patterson, Eddie Robinson, Greg Smith, Sebastian Telfair , CJ Watson, Antoine Wright e Tony Wroten.

Glen Davis é o mais conhecido por sua carreira como atleta. Em 2008, ele conquistou o título da liga pelo Boston Celtics.

Os advogados dos réus não puderam ser identificados pela agência de notícias Reuters até a publicação deste texto. A NBA não respondeu imediatamente aos pedidos de comentários.