script async src="https://pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js?client=ca-pub-2913509317834347" crossorigin="anonymous"> Alcaraz diz se sentir ‘em vantagem’ em Grand Slams após ir à semifinal do US Open
terça-feira, maio 28, 2024
Esportes

Alcaraz diz se sentir ‘em vantagem’ em Grand Slams após ir à semifinal do US Open

Carlos Alcaraz, tenista número 1 do mundo, bateu o alemão Alexander Zverev por 3 sets a 0, com parciais de 6/3, 6/2 e 6/4, entre a noite de quarta e a madrugada desta quinta-feira, para avançar às semifinais do US Open. Defensor do título do Major americano, o espanhol de 20 anos se sobressaiu diante do alemão e acredita que a razão disso é a vantagem que avalia ter em Grand Slams. Para ele, o formato de cinco sets favorece o seu jogo.

“Nos Grand Slams, vejo que esses resultados vêm graças ao trabalho que estou fazendo, e os jogadores que me enfrentam têm de jogar a um nível muito grande durante muito tempo para poder me vencer. Sinto-me com vantagem, digamos, em Grand Slams. Obviamente, tudo pode acontecer, mas me vejo muito bem fisicamente, me vejo muito bem mentalmente, então isso pode pesar para alguns jogadores. Creio que tenho certa vantagem nesse tipo de momento”, disse em coletiva de imprensa após bater Zverev.

O adversário de Alcaraz na briga por uma vaga na grande final será o russo Daniil Medvedev, que passou pelo compatriota Andrey Rublev após vencê-lo por 3 sets a 0, parciais de 6/4, 6/3 e 6/4. Em busca do bicampeonato, o prodígio espanhol se vê mais preparado e maduro este ano do que em 2022, quando conquistou seu primeiro Major ao ser campeão em Nova York.

“Sinto que sou um jogador completamente diferente. Lido com a pressão em momentos como esses. Sinto-me diferente, umapessoa diferente e um jogador diferente. Acredito que sou mais maduro agora. Eu cresci muito desde o ano passado. Ano passado estava em minha primeira semifinal de Grand Slam. Esta vai ser minha quarta”, afirmou.

Depois de vencer o US Open no ano passado, Alcaraz não disputou o Aberto da Austrália de 2023 por causa de uma lesão. Depois disso, foi semifinalista em Roland Garros e acabou eliminado pelo grego Stéfanos Tsitsipas, antes de se tornar campeão de Wimbledon ao bater o sérvio Novak Djokovic, atual número 2 do ranking. A final do torneio britânico pode se repetir nos Estados Unidos, pois a outra semifinal é entre Djokovic e o americano Ben Shelton. As duas partidas estão marcadas para sexta-feira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *