segunda-feira, maio 27, 2024
Esportes

Bernardinho volta à seleção masculina de vôlei como coordenador

DEMÉTRIO VECCHIOLI E GUILHERME PADIN
SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Bernardinho está de volta à seleção brasileira masculina de vôlei. Desta vez, o treinador multicampeão assumirá a função de coordenador.

“Acredito que posso colaborar no desafio de promover uma maior integração entre as seleções de base e adulta. É um planejamento muito mais amplo”, afirmou Bernardinho, que continua como técnico no Sesc Flamengo.
As seleções adulta, sub-21, sub-19 e sub-17 estarão sob o guarda-chuva do novo comandante.

Renan Dal Zotto seguirá como técnico da seleção. Ele vem de resultados inconstantes, como a derrota para a Argentina no Sul-Americano, em agosto. Foi a primeira vez que o Brasil ficou sem o título da competição.

A CBV também confirmou o acordo com Bernardinho em nota. A entidade disse que o novo coordenador “tem a missão de planejar o trabalho das equipes adultas e de base visando os Jogos Olímpicos de 2024, 2028 e 2032”.

O QUE DISSE BERNARDINHO
“Aceitei o convite para coordenar as seleções masculinas porque acredito que posso colaborar no desafio de promover uma maior integração entre as seleções de base e adulta. É um planejamento muito mais amplo, com um olhar voltado para o futuro. Espero usar minha experiência para contribuir na formação de novas gerações e trabalhar para que o vôlei brasileiro mantenha seu padrão de excelência”

ZÉ ROBERTO RECEBE O MESMO CONVITE PARA SELEÇÃO FEMININA
O mesmo posto foi oferecido ao técnico José Roberto Guimarães, acumulando o novo cargo com o comando da seleção feminina adulta.
A CBV ainda aguarda a resposta do treinador, segundo nota divulgada nesta sexta-feira (8).

PLANOS DA CBV PARA OS COORDENADORES
O objetivo das contratações de Bernardinho, firmada nesta sexta-feira em Saquarema, e de Zé Roberto, se concretizada, é liderar um projeto de integração de todas as categorias do vôlei, a fim de elevar o desempenho dos atletas, visando os Jogos Olímpicos de 2024, 2028 e 2032, segundo o diretor técnico da CBV, Jorge Bichara.

“A integração entre as equipes adultas e de base é um fator fundamental no sucesso de décadas do vôlei brasileiro. Com a criação do cargo de coordenador técnico, a CBV torna esse trabalho ainda mais forte. Para os cargos, convidamos os dois técnicos mais vencedores da história do vôlei nacional. Bernardinho já começou a trabalhar com a equipe masculina”, afirmou Bichara.

Como treinador da seleção masculina, Bernardinho foi campeão olímpico em 2004 e 2016 e prata em 2008 e 2012. Pela equipe feminina do Brasil, conquistou o bronze em 1996 e 2000.

Leia Também: Neymar e Rodrygo brilham em goleada do Brasil na estreia de Diniz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *