terça-feira, maio 21, 2024
Nacional

Leite diz não saber qual valor virá de verba federal para reconstruir RS

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), afirmou que ainda não sabe se poderá contar com o montante de R$ 741 milhões anunciado neste domingo (10) pelo governo federal para a reconstrução das cidades afetadas pelas enchentes. O estado foi atingido por ciclones que deixaram 46 mortos e milhares de desabrigados.

“Sobre a ajuda federal, é muito importante, há sensibilidade, disponibilidade, mas precisamos entender como são esses recursos, tomamos conhecimento ontem quando foram apresentados pelo presidente em exercício”, disse Leite em entrevista à GloboNews.

“Está incluído nesse valor [de R$ 741 milhões] o combustível dos helicópteros das Forças Armadas, então não é necessariamente um recurso que estará em mãos”, afirmou o governador. “É importante que haja essa disponibilidade, não estou criticando nem reclamando, só estou dizendo que não é R$ 740 milhões que estarão aqui diretamente para fazer a reconstrução”.

Governador também se defendeu de críticas por vídeo pedindo Pix. “Tomamos a decisão de encaminhar essa chave Pix que não é para uso do governo, não vai ser usado pelo governo. O recurso do governo do estado já está garantido para reconstruir pontes, casas. Nossa preocupação é como a gente faz para chegar […] a pequenos comerciantes”.

Para ele, meio oficial de doar ajuda a evitar golpistas e desafios logísticos. “Muitas pessoas se mobilizam nesse momento, minha preocupação é que as doações são feitas com vaquinhas para cá, ajudas para lá, e tem duas coisas, que eventualmente aproveitadores façam uma arrecadação que efetivamente não chegue ao destino. A outra é que mesmo pessoas bem intencionadas comprem itens que não estão sendo necessários”.

“Já que há muita gente querendo ajudar, estamos oferecendo um caminho seguro”, declarou. “A doação não é para o governo, vai ser utilizada com entidades reconhecidas, que vão fazer o gerenciamento e ajudar essas pessoas diretamente”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *