domingo, março 3, 2024
M de Mulher

O que os solteiros procuram em um novo amor?

Afinal, o que os solteiros querem? Com uma base de mais de 6 milhões de usuários em todo o mundo, o aplicativo global de relacionamento Inner Circle vem buscando entender o comportamento de sua comunidade. Em duas pesquisas recentes realizadas, que ouviu 1.000 membros da plataforma, em diferentes momentos, foi possível mapear dados que mais chamam  a atenção quando o assunto é solteirice. Por exemplo, quando falamos de sexo, 60% dos entrevistados o consideram a parte mais importante de uma relação. Agora, quando o assunto são limites, para 37%, o respeito é  prioridade.

“Nossas pesquisas são uma ferramenta importante para  a forma como nossos usuários se comportam e como enxergam um relacionamento. Isso nos ajuda a aprimorar nosso app e tornar a experiência deles cada vez melhor na nossa comunidade. Além disso, essas pesquisas trazem até uma certa autorreflexão para os nossos membros, uma forma de eles pararem e também analisarem o que estão procurando. É uma troca que nós valorizamos muito”, afirma Rafael Horta, Head de Marketing LATAM do Inner Circle.

Com isso é possível traçar um perfil dos solteiros no Brasil. Uma das pesquisas apontou que 52% dos entrevistados já abriram mão do que desejavam para continuar em um relacionamento. A maioria, 37%, diz ter aceitado comportamentos ou hábitos que normalmente os incomodam; enquanto 24% aceitam divergências de posicionamento político, estilo de vida e hobbies. Para justificar, 40% das pessoas afirmaram que fizeram isso porque estavam apaixonadas.

A liberdade para manifestar seus desejos e sentimentos se mostra um item fundamental no que diz respeito ao que os solteiros estão buscando: 60% deles prezam por um relacionamento no qual possam se expressar livremente. Essa liberdade também se aplica dentro de quatro paredes, já que 64% disseram se sentir à vontade para falar sobre sexo. E, rompendo tabus, a maioria, 34%, considera o primeiro encontro o momento ideal para a primeira experiência sexual com um novo parceiro. Outra prioridade é o bem-estar emocional: 61% dos usuários afirmam que isso é importante e está diretamente ligado à qualidade de suas vidas sexuais.

Diante de tantos conteúdos na imprensa e nas redes sociais, os membros do aplicativo estão alertas para “red flags” que possam indicar um possível comportamento tóxico: 8 em cada 10 pessoas responderam que procuram esses indícios antes de iniciarem uma relação. Os principais sinais de alerta observados são comportamento abusivo (32%), comportamento manipulador (27%), ciúmes (17%), apatia (8%) e se a pessoa expressa o desejo de manter o relacionamento em segredo (7%).

Mas ao escolher estabelecer limites do que procura em um relacionamento, a pessoa pode acabar, infelizmente, virando alvo de críticas ou ouvir que está sozinha por ser “seletiva demais”. Esses comentários geralmente vêm de pessoas próximas: 36% disseram que já foram criticados por amigos por definir limites na hora de procurar uma relação, e, 21% receberam comentários desse tipo por parte da família.

“Incentivamos nossos membros a deixarem claro desde o início o que eles estão procurando em um parceiro. Para isso, temos uma seleção de filtros que ajudam a refinar suas buscas e a encontrar pessoas com quem dividem objetivos e afinidades em comum. Não queremos que ninguém perca tempo com enrolação. Defendemos a seletividade, nosso objetivo é conectar as pessoas certas. Prezamos pela qualidade dos matches e não a quantidade”, finaliza Rafael Horta.

Do que os solteiros estão dispostos a abrir mão? Na hora de fazer concessões por causa de um relacionamento, 40%, revelou estar disposta a relevar a diferença de idade; em seguida, vêm as divergências de posicionamento, que 14% dos entrevistados disseram que podem abrir mão. Além disso, 12% consideram namorar pessoas que já têm filhos ou que não querem ter filhos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *