segunda-feira, maio 27, 2024
Tecnologia

Apple anuncia iPhone 15 por até R$ 13.999 com mais zoom e carregador de Android

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A Apple anunciou nesta terça-feira (12) o iPhone 15, nova linha de smartphones da empresa que começa a ser vendida nesta sexta (15) nos Estados Unidos. Os celulares receberam atualização na câmera principal, que agora é de 48 MP, no processador e no conector, agora USB-C.

A empresa apresentou os produtos em seu evento Wonderlust, realizado em Cupertino, Califórnia, que incluiu o lançamento da nova geração do Apple Watch.

O iPhone 15 vai manter quatro versões, como nos anos anteriores -iPhone 15 (US$ 799), 15 Plus (US$ 899), 15 Pro (US$ 999) e 15 Pro Max (US$ 1.199).

Os lançamentos da Apple não costumam ser globais, e nos últimos anos os iPhones chegaram ao Brasil com cerca de um mês de atraso. Na Apple Store brasileira, os celulares custam respectivamente a partir de R$ 7.299, R$ 8.299, R$ 9.299 e R$ 10.999 -mas ainda não podem ser comprados.

Neste lançamento, a empresa dobrou a aposta no luxo. A Apple dedicou os incrementos nos aparelhos de ponta -iPhone 15 Pro e Pro Max-, como no ano passado. Mas ambos agora receberam melhorias significativas no acabamento, com titânio, e no desempenho gráfico e computacional.

Com isso, o preço do iPhone 15 Pro Max atingiu recorde e subiu para US$ 1.199, US$ 100 a mais do que o iPhone 14 Pro Max do ano passado. Na versão com 1 TB de memória, a nova versão chega a custar R$ 13.999 no Brasil.

Os dois aparelhos mais caros inovam no conjunto de câmeras, agora com zoom óptico de 5x, contra 3x da geração anterior e dos iPhones 15 e 15 Plus. Isso diminui a necessidade de intervenção computacional nas imagens. As chamadas lentes periscópicas equipadas no iPhone ampliam a distância focal com uma câmara de reflexão, sem necessidade de aumentar a espessura do aparelho.

O novo jogo de câmeras também trabalham melhor com baixa luminosidade, de acordo com a Apple.

Na primeira adaptação de formato para o óculos de realidade aumentada da Apple, os novos iPhones Pro também vão gravar “vídeos espaciais”, que podem ser vistos com o Vision Pro.

A Apple também equipa os iPhones 15 Pro e 15 Pro Max com o novo processador A17 Pro, construído com precisão exclusiva no mercado de 3 nanômetros em busca de desempenho e também economia de bateria. A fabricante de smartphones fechou contrato de exclusividade com a fabricante taiwanesa de chips TSMC pela tecnologia durante este ano para manter um diferencial ante a concorrência.

O acabamento dos modelos de ponta muda do aço inoxidável vulnerável a marcas de dedo para o mais precioso titânio, o qual também diminui o peso do celular. A tela se afila em direção às extremidades dos novos celulares e a traseira em vidro fosco permanece, com uma ligação mais suave aos elementos metálicos.

Ainda nos aparelhos Pro e Pro Max, a empresa aposentou o botão “mute”, lançado com o primeiro iPhone em 2007, e adotou um novo botão de ação personalizável. Usuário poderá ligar ao comando diferentes funções, como silenciar o aparelho, ligar a lanterna ou abrir a câmera.

A nova linha da Apple agora passa a adotar o padrão USB-C, mesmo disponível nos smartphones Android mais recentes. A mudança visa adequação às diretrizes do órgão regulador da União Europeia, que sancionou a Apple por adotar padrões de formato diferente da concorrência, como o conector lightning. Será a primeira mudança na entrada de dispositivos da empresa desde 2012.

Os iPhones 15 e 15 Plus, por sua vez, serão equipados com os chips A16, já disponíveis nos iPhones 14 Pro e 14 Pro Max. Neles também permanece o conjunto de duas câmeras traseiras -a grande-angular passa a ter 48 megapixels (contra 12 megapixels do antecessor) e a ultra-angular continua com 12 megapixels.

Os aparelhos também ganham a interface Dynamic Island, que amplia a área de interação da tela ao redor da câmera frontal. O recurso estava presente apenas nos iPhone 14 Pro.

O iPhone 15 e o iPhone 15 Plus estão disponíveis em tons pastéis de azul, verde, vermelho, amarelo e branco. Os aparelhos Pro e Pro Max têm opção de acabamento em titânio em tonalidades preta, branca, cinza e azul.

O sucesso das escolhas da gigante da tecnologia para a nova linha de iPhones podem ser decisivas para o desempenho da fabricante de dispositivos eletrônicos, após um ano com resultados aquém do esperado.

A Apple resistiu à desaceleração nas vendas de smartphones melhor do que a maioria dos fabricantes. Embora suas remessas de celulares tenham caído em 2% no último trimestre, de acordo com a IDC, o resultado é melhor do que o declínio de 15% sofrido pela Samsung Electronics. O desempenho ajudou a Apple a ampliar um pouco sua participação de mercado.

Todo o setor de smartphones está em baixa, e a Apple não ficou imune. As vendas lentas do iPhone reduziram sua receita geral, que este ano deve cair pela primeira vez desde 2019.

Na última semana, a Apple perdeu quase R$ 1 trilhão em valor de mercado em apenas dois dias, após o governo chinês anunciar que restringiria o acesso de funcionários públicos a iPhones.

Nesta terça-feira, os papéis da empresa negociados no índice Nasdaq, em Nova York, mantiveram a tendência de desvalorização, com baixa de 1,71% no fechamento.

O iPhone é a maior fonte de receita da Apple, gerando cerca de metade de suas vendas. Com os vestíveis (como o Apple Watch e os AirPods), essa proporção chega perto dos 60%.

NOVOS SMARTWATCHES

A Apple também anunciou a nona geração do Apple Watch, com processamento 30% maior. O Series 9 usa o chip S9, que promete autonomia da bateria de até 18 horas.

Além disso, a assistente virtual Siri agora funcionará diretamente no vestível, e não mais na nuvem. Isso permite, segundo a empresa, comandos mais simples sem a necessidade de conexão à internet, com tempo de resposta mais rápido.

A nova geração de relógios também receberá uma função de encontrar o iPhone do usuário a partir de sensores. A tela do relógio ainda terá brilho duas vezes superior que a do Series 8.

Os novos smatwatches da Apple também permitirão uma interação ao juntar o polegar com o indicador, no recurso chamado “Double Tap”. O dispositivo usa aprendizado de máquina para detectar o movimento, a partir de mudanças no pulso e na corrente sanguínea do usuário.

Na atual Series 9, a Apple também trocou as pulseiras de couro para materiais mais sustentáveis, como o tecido “FineWoven” -feito com nylon reciclado e poliester. Segundo a empresa, este é seu primeiro produto neutro em emissão de carbono. A mesma mudança também será aplicada ao Apple Watch Ultra 2, voltado para atividades intensas.

Nos Estados Unidos, o Apple Watch Ultra 2 custará US$ 799 e o Apple Watch Series, US$ 399.

VEJA A LISTA DE PRODUTOS ANUNCIADOS PELA APPLE NESTA TERÇA (12)

iPhone 15 (a partir de R$ 7.299)
iPhone 15 Plus (a partir de R$ 8.299)
iPhone 15 Pro (a partir de R$ 9.299)
iPhone 15 Pro Max (a partir de R$ 10.999)
Apple Watch Series 9 (a partir de R$ 4.999)
Apple Watch Ultra 2 (a partir de R$ 9.699)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *