sexta-feira, maio 24, 2024
Esportes

Caso Pogba: por que testosterona é proibida e o que pode acontecer após doping?

Depois de ficar quatro meses longe dos gramados por causa de uma lesão na coxa, o meio-campista Paul Pogba corre o risco de continuar ainda mais tempo longe do futebol, mas por punição. O astro da Juventus e da seleção francesa testou positivo para o uso de testosterona em exame antidoping realizado após a vitória por 3 a 0 sobre a Udinese, no dia 20 de agosto, pelo Campeonato Italiano. A Juventus recebeu a notícia no domingo e aguarda a contraprova das análises.

O fato de não ter saído do banco de reservas contra a Udinese não livrou o jogador da punição. Na segunda-feira, o Tribunal Italiano Antidoping suspendeu o jogador de 30 anos de maneira provisória, impedindo o atleta de até treinar com seus companheiros de elenco. Caso o meia não consiga provar a inocência, o gancho pode ser de até quatro anos.

De acordo com o jornal italiano La Gazzetta dello Sport, o exame positivo de Pogba pode ter sido causado por um descuido do próprio jogador. O francês disse à Juventus que tomou um suplemento por indicação de um amigo médico sem que os profissionais de saúde do clube tivessem conhecimento. Em nota, a equipe italiana informou que vai respeitar as etapas do processo para saber como agir. Um acordo assinado entre os clubes com a Federação Italiana de Futebol (FIGC) prevê a suspensão do pagamento de salário em caso de doping.

A testosterona é o principal hormônio sexual masculino, mas também existe em pequenas quantidades na mulher. Ela é responsável pelas características sexuais secundárias no homem, como o desenvolvimento da genitália masculina, o crescimento de pelos e engrossamento da voz. Na mulher ela é produzida em pequenas quantidades pelos ovários. Em ambos os sexos, as glândulas adrenais também produzem pequenas quantidades de testosterona.

De acordo com o endocrinologista Clayton Macedo, do Hospital Albert Einstein, o hormônio regula a produção de espermatozoides e também tem uma função anabolizante, ou seja, de estímulo à síntese de proteínas no organismo, principalmente de proteína muscular e óssea. Ela é produzida pelos testículos nos homens, sob estímulo da glândula hipófise.

“O uso de testosterona ou seus derivados para fins de ganho de desempenho no esporte, para fins estéticos ou como agentes antienvelhecimento é desprovido de qualquer base científica e é acompanhado de riscos bem descritos na literatura, maiores que qualquer benefício, justificando a proibição de seu uso nestes casos pelo Conselho Federal de Medicina”, explica.

Em agosto do ano passado, a Fifa puniu o jogador Sabri Ali Mohamed, da seleção do Djibuti, após o exame antidoping do jogador, realizado após a derrota por 4 a 0 para a Argélia nas Eliminatórias da Copa, detectar o uso de testosterona. Segundo a entidade, o atleta violou o artigo 6 do Regulamento Antidoping da Fifa, em conjunto com o artigo 17 do Código Disciplinar da Fifa.

Campeão do mundo com a França em 2018, Pogba viveu momentos conturbados em sua carreira nas últimas temporadas. Contratado pelo Manchester United junto a Juventus em 2016 por 110 milhões de euros (R$ 386,1 milhões na época), o meia não se firmou na equipe inglesa, alternando entre a reserva e a titularidade, saindo de graça em 2022 e retornando ao futebol italiano.

A diretoria da Juventus recebeu sondagens para uma possível transferência do jogador para o Al-Ittihad, da Arábia Saudita, mas o negócio não avançou. O Campeonato Italiano será retomado no fim de semana. A Juventus encara a Lazio no sábado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *