terça-feira, maio 21, 2024
M de Mulher

Dieta do sexo: entenda o que é e os riscos para a saúde íntima e mental

A lista de dietas ganhou mais uma técnica que conquistou nomes famosos, que não envolve, necessariamente, ir à academia, fazer levantamento de peso ou práticas esportivas. A dieta do sexo consiste em ter relações intensas por cerca de 5 horas ao dia e quatro vezes por semana.

 

Nomes como Kim Kardashian, Pamela Anderson e Cameron Diaz são adeptas do método que promete eliminar até 8 mil calorias por vez! Além delas, a candidata do Miss Bumbum 2022 Carolina Lekker detalhou ao jornal americano Daily Star que queria perder, aproximadamente, 5 kg e, para isso, decidiu investir na dieta e cortar alimentos gordurosos, refrigerantes, álcool e laticínios.

Mas essa ideia de aliar prazer e exercício físico pode oferecer riscos para a saúde e, a longo prazo, interferir na relação sexual, como explicam a sexóloga Laryssa Justo e a ginecologista do Hospital Albert Einstein Ana Paula Beck

Fazer sexo, de fato, ajuda a perder a peso

A médica explica que, assim como qualquer atividade física, a prática sexual também elimina calorias. Uma pesquisa publicada pela revista científica PloS One relata um gasto calórico médio de 3,1, por minuto, para as mulheres e de 4,2 para os homens. Considerando relações que duram cerca 30 minutos, o estudo apresenta um gasto de 90 calorias para elas e de 120 para eles.

 

Mas a técnica apresenta riscos

 

Especialistas listam os riscos para a saúde íntima e mental que podem ser causados pela rotina intensa de sexo — Foto: Unsplash

Especialistas listam os riscos para a saúde íntima e mental que podem ser causados pela rotina intensa de sexo — Foto: Unsplash

A sexóloga aponta que a dieta do sexo pode oferecer danos físicos e mentais e que a relação sexual não deveria substituir as inúmeras atividades pensadas com o propósito de emagrecer: “O sexo deveria estar relacionado ao prazer, desejo e o ato em si.”

 

Laryssa destaca que o cérebro humano cria associações constantemente ao longo do dia e que, provavelmente, esse hábito também passaria a interferir nesta questão. Ela aponta alguns dos principais perigos de fazer sexo, exclusivamente, com o intuito de eliminar calorias:

 

“A pessoa pode associar a prática com a perda de peso e desassociá-la do prazer sexual, perder a conexão com o próprio corpo e a parceria, com as fantasias, os desejos, a excitação e o orgasmo. Se a pessoa gosta da prática, pode fazer sexo e, consequentemente, perder peso. Mas usá-la só para isso é perigoso, ainda mais em uma rotina intensa.”

A sexóloga aponta que os riscos são ainda maiores no caso de relações com penetração, já que o atrito dos órgãos, por várias horas seguidas, pode gerar diversas consequências: escoriações ou microfissuras na região íntima da mulher, infecções, além de possivelmente causar ardência e desconforto após a prática.

 

“A relação muito longa pode diminuir a lubrificação da mulher, por exemplo, podendo ocasionar um atrito que gera dor ou pequenas lesões na região”, alerta a ginecologista Ana Paula.

 

Por fim, Laryssa propõe uma reflexão e deixa um questionamento para os curiosos com a tal dieta:

 

“É importante pensar o porquê da escolha do sexo como prática para perda de peso, sendo que existem muitas outras formas de fazer isso acontecer e que são próprias para a situação. Será que compensa?”

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *