Como seria o Sol ‘bebê’? Nasa capta imagem de estrela recém-nascida
3 mins read

Como seria o Sol ‘bebê’? Nasa capta imagem de estrela recém-nascida

A Agência Aeroespacial dos Estados Unidos (Nasa) divulgou na quinta-feira, 14, uma imagem inédita captada pelo telescópio James Webb que demonstra como poderia ser o Sol quando “bebê”. Conforme a agência, na foto é possível ver uma estrela recém-nascida com jatos supersônicos de gás expelidos de seus polos. “Tem apenas algumas dezenas de milhares de anos aqui, mas quando crescer, será muito parecido com o nosso Sol”, afirmou a Nasa.

Segundo a agência, as regiões brilhantes em torno de estrelas recém-nascidas, como vistas na imagem, são chamadas de objetos Herbig-Haro. “Este objeto Herbig-Haro específico é chamado Herbig-Haro (HH) 211. Ele está a cerca de 1 mil anos-luz de distância da Terra, é um dos objetos mais jovens e mais próximos deste tipo”, disse ainda em publicação nas redes sociais.

 

Babies, amirite? Supersonic jets of gas spew from a newborn star in this new infrared image by @NASAWebb: https://t.co/ldxuCkyYkZ

The bright regions are called Herbig-Haro objects, and they form when star particles collide with nearby gas and dust, forming intense shockwaves. pic.twitter.com/qwQfnyLyDy

— NASA (@NASA) September 14, 2023

Os objetos Herbig-Haro são criados quando jatos de gás dessas estrelas recém-nascidas formam ondas de choque ao colidirem com o gás e a poeira circundantes. A sensível visão infravermelha do telescópio James Webb pode perfurar o gás e a poeira, captando as emissões de calor provenientes dos fluxos da estrela e mapeando a estrutura com detalhes sem precedentes.

“Curiosamente, as observações de Webb também mostraram que os fluxos deste objeto são mais lentos em comparação com os de estrelas bebês mais desenvolvidas”, acrescentou a Nasa.

Ao descrever a imagem, a agência cita que no centro está presente uma fina nuvem horizontal rosada conhecida como Herbig-Haro 211 que é irregular com extremidades arredondadas e inclinada do canto inferior esquerdo para o canto superior direito.

“Curiosamente, as observações de Webb também mostraram que os fluxos deste objeto são mais lentos em comparação com os de estrelas bebês mais desenvolvidas”, acrescentou a Nasa.

“Ocupa cerca de dois terços do comprimento deste ângulo, mas é mais fino e mais longo no ângulo oposto. No seu centro há uma mancha escura. Em ambos os lados da mancha escura, há mechas amarelo-alaranjadas que se estendem até mechas azuis claras. No centro dessas nuvens, uma faixa rosa fofa percorre cada lóbulo”, explicou a Nasa.

Nas extremidades de cada lóbulo, o rosa torna-se a cor dominante. O lóbulo à esquerda é mais gordo. O lobo direito é mais fino e termina em um semicírculo rosa menor, conforme a descrição apresentada.

“Logo na borda deste lóbulo há um semicírculo rosa ligeiramente menor, depois um blog rosa em forma de esponja. O fundo contém várias estrelas brilhantes, cada uma com oito pontas de difração que se estendem a partir do ponto brilhante central”, complementa a Nasa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *