segunda-feira, maio 27, 2024
M de Mulher

Escovação a seco tem benefícios para a saúde, mas oferece riscos

Se você nunca ouviu falar nesta técnica (relaxante!), imagine que seja como uma massagem feita com uma escova corporal. Além da sensação de leveza que a escovação a seco traz, possui vários benefícios para a saúde.

 

Com a chegada do inverno e, consequentemente, do tempo seco – principalmente para quem mora em cidades grandes –, este é um truque caseiro que pode ser feito para manter a pele sempre renovada e saudável. Sem contar que serve como mais um daqueles rituais para aliviar o estresse depois de um longo dia!

Quem explica todos os detalhes sobre a prática, como fazer e os cuidados é Ligia Novais, dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

 

Principais benefícios

A escovação a seco é muito usada na Ayuverda, medicina indiana que propõe técnicas de equilíbrio energético corporal. Portanto, além de uma limpeza mais profunda da pele, a médica explica que o método proporciona bem-estar por uma série de fatores:

  • Elimina células mortas, deixando a pele mais lisa
  • Alivia a retenção de líquido, gerando um efeito de drenagem linfática
  • Como consequência, ativa a circulação sanguínea, principalmente nas pernas
  • E, por sua vez, ajuda a reduzir inchaço corporal e a liberar toxinas
  • Pode reduzir a aparência de celulite
  • Além disso, é ótimo para quem tem lipedema (acúmulo de gordura em regiões como perna e quadril)

 

Recomendações

 

Escovação a seco: veja o passo a passo e quais são os produtos ideais para a técnica — Foto: Pexels

Escovação a seco: veja o passo a passo e quais são os produtos ideais para a técnica — Foto: Pexels

Mas, alto lá! Não é qualquer escova que pode ser usada para esfoliar o corpo. Existem produtos próprios para esta finalidade e uma forma correta de fazer sem machucar a pele.

 

Como fazer:

  • Como a técnica estimula a dar mais energia, o mais indicado é fazer pela manhã.
  • Nos braços, pernas e pescoço, faça movimentos retos e longos (para cima e para baixo).
  • No abdômen, no tronco e nas costas, faça movimentos circulares.
  • A ideia é fazer movimentos firmes, mas vale diminuir a pressão em partes mais delicadas do corpo, como pescoço e seios.
  • Após a esfoliação, tome um banho e hidrate a pele.
  • Frequência: a médica recomenda uma vez por semana, mas o número pode variar de acordo com o tipo de pele e necessidade.
  • Ao final do processo, limpe a escova: em um pote com pouca água, misture um óleo essencial ou sabonete neutro. Coloque líquido suficiente para limpar apenas as cerdas, já que a umidade pode embolorar a madeira ou bambu.

 

Produtos:

  • Prefira escova de madeira e com cerdas naturais e firmes: elas são mais eficazes para eliminar células mortas.
  • Existem modelos de escovas com cabo longo para alcançar as costas, por exemplo.
  • A bucha vegetal também pode ser uma opção para quem tem pele mais sensível.

 

Atenção! Em caso de dúvidas, a dermatologista recomenda consultar um médico para auxiliar a pressão ideal para o seu tipo de pele, em quais áreas usar e a frequência mais indicada, já que o uso incorreto pode ser trazer riscos graves: “Fazer a escovação a seco pode causar alergias e irritações, pois pode danificar a camada superficial da pele que protege todo o nosso corpo. Esse dano pode, inclusive, gerar infecções!”

 

Todo mundo pode fazer?

 

Pessoas com a pele sensível, machucada ou com queimadura solar devem evitar a escovação a seco — Foto: Pexels

Pessoas com a pele sensível, machucada ou com queimadura solar devem evitar a escovação a seco — Foto: Pexels

Não! Por mais benefícios que a escovação a seco apresente, algumas pessoas devem evitá-la. Neste grupo, Ligia inclui indivíduos com dermatites e psoríase, por terem uma pele bastante sensibilizada: “A escova vai, de alguma, forma sensibilizar e agredir ainda mais a camada córnea da pele.”

Pessoas com queimaduras de sol, feridas abertas ou em processo de cicatrização também devem aguardar a recuperação da pele.

Quem tem pelos encravados precisa ter cuidado redobrado durante a esfoliação para não machucar a pele. Mas, no geral, Ligia prefere que este grupo também evite o método.

 

Pessoas com pele madura estão liberadas, desde que seja feito com mais delicadeza, já que a pele tende a ser mais fina. Além disso, a frequência também deve ficar mais espaçada!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *