quarta-feira, maio 22, 2024
M de Mulher

Tatuagem íntima: o que é e como cuidar? Veja riscos e áreas mais seguras para tatuar

O vídeo da tatuagem de Anitta no ânus gerou enorme repercussão quando viralizou na internet, em fevereiro de 2021. Mas a comoção não foi apenas pela escolha do local inusitado. Profissionais de saúde ficaram preocupados com a corrente que essa perigosa escolha da cantora pudesse gerar entre os fãs de tattoos.

 

Para alívio dos especialistas, no entanto, a procura por tatuagem anal não foi significativa, garante o tatuador Lucas Maffei, responsável pela tatuagem íntima de Anitta.

 

“Houve alguns curiosos, mas ninguém concretizou o interesse. Normalmente, são mulheres que se interessam mais em tatuagem íntima”, afirma ao gshow.

 

“Para mim não houve aumento na procura, o que aumentou foram as perguntas sobre, a curiosidade”, acrescenta Tatiana Alves, tatuadora que atende a um público 100% feminino.

 

Mas a tatuagem íntima não se limita ao ânus. Confira a seguir mais detalhes sobre esse tipo de procedimento!

O que é tatuagem íntima?

 

A tatuagem íntima é a arte desenhada em áreas secretas, misteriosas ou menos expostas do corpo, seja para quem gosta de manter a discrição ou para garantir um ar de mistério e sensualidade. “São realizadas em locais que geralmente a roupa íntima cobre: virilha, quadril, nádegas, genitais, mamas e ânus”, explica Tatiana.

 

Segundo Lucas Maffei, considerando essas regiões menos expostas, as buscas mais comuns são por tattoos nas nádegas, púbis e seios. A tatuadora inclui ainda a área da virilha como uma das que mais desperta interesse entre as suas clientes.

 

Tatuagem íntima: o que é e como cuidar? Veja os riscos e as áreas mais seguras para tatuar — Foto: Getty Images

Tatuagem íntima: o que é e como cuidar? Veja os riscos e as áreas mais seguras para tatuar — Foto: Getty Images

Tatuagem íntima delicada: nomes e desenhos

 

O tatuador afirma que o público que opta por tatuagens íntimas localizadas em áreas como virilha, nádegas e púbis, muitas vezes prefere algo mais delicado: “Geralmente são nomes, palavras específicas ou desenhos pequenos. Somente em tatuagens under boob (abaixo do peito) é que é comum a procura por trabalhos maiores”, aponta Lucas Maffei, especialista em preto e cinza.

 

Já Tatiana Alves afirma que, no seu estúdio, não há regra, pois percebe uma busca bem variada: “Depende do gosto e estilo de cada cliente.”

 

A tatuagem íntima dói mais que as outras tatuagens?

 

Se você deseja fazer algum tipo de tatuagem íntima, é importante saber: “O grau de sensibilidade muda de acordo com a região.” O tatuador de Anitta afirma que as tattoos nas partes íntimas, normalmente, são mais dolorosas. “Por serem áreas mais vascularizadas e por não pegarem muito sol, sendo a pele da região mais fina do que no resto do corpo”, explica Maffei.

 

“Em alguns casos, o corpo tem reações incontroláveis, que dificultam ainda mais”, aponta o especialista, ao citar o aumento da dificuldade para o profissional quando o cliente reage à dor durante a sessão.

 

Para o ginecologista Dr. Carlos Moraes, o mais recomendado é que as regiões genitais e o ânus não sejam tatuados. E alerta ainda sobre a dor: “São regiões muito vascularizadas, com um risco maior de sangramento. Além de ter uma enervação bem aumentada, é muito sensível. Dependendo de onde vai fazer, o desconforto é maior e o risco de infecção é alto”, explica.

 

Tatuagem íntima: o que é e como cuidar? Veja os riscos e as áreas mais seguras para tatuar — Foto: Getty Images

Tatuagem íntima: o que é e como cuidar? Veja os riscos e as áreas mais seguras para tatuar — Foto: Getty Images

Entenda por que as tatuagens íntimas exigem mais retoques

 

A tatuagem íntima também pode exigir mais cuidados e retoques. A tatuadora afirma, entretanto, que essa não é uma regra. “A despigmentação varia de cada pele, região, cuidados. A hidratação ajuda muito no prolongamento da vitalidade da tattoo”, orienta Tatiana.

 

Lucas Maffei opina sobre os casos de tatuagens mais invasivas: “A pele característica desses locais causa uma dificuldade maior de cicatrização, por esse motivo, as partes íntimas costumam precisar de retoques. Para prevenir, é sempre bom ouvir bem os cuidados que seu tatuador vai passar e seguir à risca.”

 

“As áreas íntimas, normalmente, têm maior atrito com roupas, então tendem a perder mais da tinta que em áreas mais expostas”, acrescenta o dermatologista Igor Manhães.

 

Quais são os cuidados na cicatrização da tatuagem íntima

 

Os cuidados devem ser redobrados na tatuagem íntima mais invasiva. “A contaminação é mais propícia, então recomendo que a higienização seja feita mais vezes ao dia”, ressalta Lucas Maffei, que orienta ainda com relação às roupas: “A tatuagem/pele precisa ‘respirar’, por isso, o ideal é utilizar roupas íntimas leves, frescas e mais folgadas nesse período. O cliente tem que estar ciente de que deve cuidar bem da cicatrização para evitar possíveis infecções.”

 

O dermatologista Igor Manhães dá dicas essenciais sobre a higiene dos genitais e ânus após a tatuagem nessas regiões para diminuir a exposição a infecções:

 

  1. Deve-se realizar assepsia com água e sabão logo após urinar ou evacuar.
  2. Utilizar produtos cicatrizantes gordurosos e com vitamina B5 com frequência
  3. Isolar a tatuagem de agentes infecciosos.

 

Com relação às tatuagens íntimas em locais mais comuns, Tatiana Alves lista os cuidados: “O processo de cicatrização é o mesmo, manter a área limpa, seca e hidratada”.

 

Tatuagem íntima: o que é e como cuidar? Veja os riscos e as áreas mais seguras para tatuar — Foto: Getty Images

Tatuagem íntima: o que é e como cuidar? Veja os riscos e as áreas mais seguras para tatuar — Foto: Getty Images

Os perigos da tatuagem íntima

 

Os especialistas de saúde concordam: a tatuagem íntima mais invasiva é perigosa e pode ser fatal. “É uma área mais propensa a infecção, tem mucosa, e a região anal ou da vulva, perto da vagina, tem a passagem de fezes e urina, é muito contaminante. Qualquer corte nessa área é preocupante e a higiene é muito mais difícil de ser realizada”, explica a ginecologista Camila Pinheiro, especializada em Saúde da Mulher.

 

“A complicação mais perigosa que pode acontecer é a Síndrome de Fournier. E o que é isso? É uma infecção pélvica que pode gerar deformidades e necrose de algumas áreas íntimas, com alta chance de trombose, sepse e com morte mesmo, falência dos órgãos”, alerta a médica.

 

Ela lembra que o períneo e o ânus são locais muito próximos e que tanto o reto quanto a vagina têm bactérias próprias: “É uma flora bacteriana importante, qualquer lesão de derme pode desenvolver infecção. O tratamento é demorado, a avaliação tem que ser muito atenta porque isso pode piorar.”

 

As piores e melhores opções de tatuagem íntima

 

região pubiana, a virilha e os seios são opções mais seguras para quem deseja fazer uma tatuagem íntima, mas ainda assim exigem cuidados. “Toda tatuagem deve receber o máximo de cuidados no período de cicatrização, mas, nessas áreas, o risco de infecção não é tão alto como vagina e ânus”, pondera o dermatologista Igor Manhães.

 

Para a Dra. Camila Pinheiro, não há dúvidas sobre quais são as áreas de maior risco para se fazer uma tatuagem íntima. “Eu não indicaria, e não estou falando em púbis. Estou falando de região anal, de vulva e de vagina, o próprio períneo, que é o espaço entre o ânus e a vagina. Mas se for fazer, indico a maior higiene possível no local e qualquer sinal de infecção, muito cuidado. Usem roupas largas, sabonetes específicos, não tenham relações sexuais, respeitem o tempo de cicatrização.”

Tatuagem íntima e depilação a laser

 

Uma das dúvidas recorrentes é sobre o risco de se fazer depilação a laser e ter a tatuagem comprometida. Segundo o dermatologista Igor Manhães, não é apenas a arte que pode ser afetada durante o procedimento.

 

“O laser de depilação age sobre o pigmento do pelo. Então, caso haja tatuagem no local, ele pode causar lesões semelhantes a queimaduras e até retirar parte da ‘tinta’ da tatuagem e borrar a mesma”, esclarece o especialista.

 

Como saber se o estúdio de tatuagem é seguro?

 

Parece óbvio, mas vale alertar. Ao escolher o estúdio de tatuagem para realizar o procedimento, confira se as condições de limpeza, higienização, conservação geral e privacidade atendem aos requisitos da Anvisa. Desta forma, você evita se expor a qualquer tipo de contaminação.

 

“O correto é fazer em estúdios que atendam à regulamentação da vigilância sanitária com alguns controles, sempre tem uma segurança maior com relação a riscos no próprio procedimento. O principal risco é o de infecção”, afirma o Dr. Carlos Moraes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *