quarta-feira, maio 22, 2024
Life Style

Hábitos que podem ajudá-lo a diminuir o risco de Alzheimer

Hoje, 21 de setembro, é o Dia Mundial da Pessoa com Doença de Alzheimer, o tipo mais comum de demência que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Felizmente, existem formas simples de reduzir o risco desta doença, muitas delas relacionadas com a alimentação e o estilo de vida.

Um estudo citado na iNews, que analisou os resultados de 11 pesquisas sobre a relação entre estilo de vida e saúde cerebral, descobriu que fazer exercícios regularmente pode reduzir o risco de desenvolver este tipo de demência em 45%.

Com base nisso, Paul Matthews, diretor do departamento de ciências do cérebro da Imperial College e diretor do Instituto de Investigação da Demência do Reino Unido, elaborou uma lista de hábitos que podem ajudar significativamente a diminuir o risco.

Faça exercícios de respiração: Exercícios de respiração podem ser benéficos, pois ajudam a ativar células imunitárias que podem viajar para o cérebro, impactando suas funções.

Cuide dos olhos: Problemas na visão podem agravar os sintomas de declínio cognitivo precoce em pessoas com demência. Portanto, é importante manter a saúde ocular.

Tenha uma vida social ativa: A interação social está relacionada a uma maior resistência à demência. Pessoas mais felizes parecem ter menos chances de sofrer de declínio cognitivo precoce, o que pode estar relacionado com a interação social.

Exercite-se regularmente: Mesmo 20 minutos de exercício por dia podem fazer uma diferença real na prevenção da demência. Qualquer tipo de exercício que eleve um pouco a frequência cardíaca é benéfico.

Combine exercícios aeróbicos e com pesos:

Um programa de exercícios físicos eficaz deve incluir exercícios aeróbicos, como corrida ou natação, e exercícios de resistência com pesos para aumentar a massa muscular e proteger o corpo dos efeitos negativos das gorduras e do açúcar. O exercício aeróbico também é importante para melhorar a saúde cardiovascular e, por consequência, a saúde cerebral.

Leia Também: Exame de sangue para diagnóstico de Alzheimer chega ao Brasil

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *