sexta-feira, abril 12, 2024
Life Style

Receita: três dicas para fazer a Feijoada perfeita!

Gosta de reunir a família e amigos para desfrutarem refeições cheias de sabor? Que tal uma deliciosa Feijoada? Para te ajudar nesta tarefa, o Notícias Ao Minuto conversou com a chef Natacha Fink para ensinar algumas dicas de como prepara este prato, que é um dos preferidos dos brasileiros.

A amazonense Natacha Fink, que é professora de gastronomia Brasileira, atualmente trabalha no restaurante ‘Palaphita‘, em Cascais, Portugal, nos deu três dicas para preparar uma deliciosa Feijoada. Veja:

O arroz perfeito: pode usar o arroz basmati que fica bem soltinho. Primeiro refogamos os grãos com alho processado em azeite extra virgem, por isso ele fica cheiroso.

A Feijoada mais saborosa: utilizamos carnes frescas, como costelinha, lombinho e cachaço de porco, que, por exemplo, são colocadas no sal grosso por 36 horas na geladeira. Depois Lavamos bem em água corrente para tirar o sal. Normalmente se usa carnes já salgadas que podem ser encontradas em açougues e mercado, mas preparadas em casa, elas ficam com o sabor mais concentrado.

Despois, quando todas as carnes estão pré-prontas, iniciamos o processo de preparo da feijoada propriamente dito. Refogamos tudo com muito alho, cebola e bacon e flambamos esse fundo com cachaça.

O complemento: a couve é feita no alho com bacon e flor de sal apenas. Como o sal faz a couve liberar muita agua, usamos a flor de sal na finalização para a couve ficar sequinha mas não desidratada.

O prato pode ser incrementado com uma farofa básica ou uma vinagrete, como servido normalmente.

Sobre a Chef:

Amazonense, Natacha Fink trabalhou no restaurante ‘Casa dos Sabores’, no Rio de Janeiro, e depois abriu o próprio negócio, o ‘Espírito Santa’, no bairro turístico de Santa Teresa, no Rio de Janeiro.

Em 2010, como chef consultora do Conselho Norueguês da Pesca, publicou o livro “Bacalhau com Frutas dos Biomas Brasileiros”. “Faço uma cozinha brasileira contemporânea. Valorizo os produtos amazônicos que fazem parte da minha bagagem cultural e coloco-os em contato com a melhor oferta de produtos que vem da agricultura familiar, biológica e de pequenos projetos regionais de base sustentável. Acredito numa comida que faz bem às pessoas e ao planeta.”, diz a chef.

Em busca de novos desafios, mudou-se para Portugal em 2020, para chefiar a cozinha do Palaphita, levando todo seu conhecimento sobre a culinária amazônica ao público europeu.

Natacha segue como professora de gastronomia Brasileira, consultora e colaboradora de projetos gastronômicos de economia solidária e sustentável. Sua principal motivação como profissional da cozinha é explorar as possibilidades expressivas dos ingredientes tipicamente brasileiros, especialmente, os da Amazônia. Seu trabalho contribui efetivamente para a formação de um mercado consumidor para produtos gastronômicos de base sustentável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *