sexta-feira, abril 12, 2024
Polícia

Execução Brutal: Homem Monitorado por Tornozeleira Eletrônica é Morto a Tiros em Praça Pública

Djair Costa Lima, de 27 anos, com histórico criminal, foi alvejado por mais de sete disparos no bairro Aeroporto Velho, em Rio Branco (AC)

No final da tarde deste sábado (21), por volta das 17 horas, uma cena de brutalidade chocou moradores do bairro Aeroporto Velho, em Rio Branco (AC). Djair Costa Lima, 27 anos, monitorado por tornozeleira eletrônica devido a seu envolvimento com uma facção criminosa na cidade, foi executado a tiros na praça do SEJA, enquanto participava de uma partida de futebol em uma das quadras do local.

Segundo testemunhas, dois homens armados se aproximaram de Djair e, sem hesitação, abriram fogo contra ele, disparando mais de sete tiros. A vítima, atingida por múltiplos disparos, incluindo um na cabeça, foi prontamente atendida pela equipe de socorro do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), porém, os paramédicos lamentavelmente constataram seu óbito.

O pai de Djair, visivelmente consternado, revelou que o filho já tinha uma extensa ficha criminal, com pelo menos três processos registrados em seu CPF. A tornozeleira eletrônica, que o monitorava, era uma das medidas adotadas pelas autoridades para acompanhar seu histórico delituoso.

A Polícia Militar foi acionada imediatamente e isolou a área do crime, iniciando buscas para localizar os responsáveis pelo homicídio. Paralelamente, equipes do Instituto Médico Legal (IML) foram mobilizadas para realizar os procedimentos necessários e encaminhar o corpo de Djair para a sede do instituto.

Agentes da Polícia Civil, pertencentes à Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), estiveram no local para colher informações e deram início às investigações, buscando determinar a motivação e a autoria deste mais um chocante assassinato que abala a cidade de Rio Branco.

A comunidade local clama por justiça e aguarda o desenrolar das investigações na esperança de que os responsáveis por esse ato bárbaro sejam identificados e levados à prisão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *