segunda-feira, abril 22, 2024
M de Mulher

Poros dilatados: saiba as causas, como evitar e o que não fazer

Os poros dilatados são os vilões das peles mistas, oleosas e até de quem não sofre com acne. Estas microaberturas são bastante comuns, incomodam muita gente e precisam de cuidados especiais para serem reduzidos.

Quem explica os detalhes é Ligia Novais, dermatologista titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). A médica desvenda alguns mitos sobre os poros dilatados e explica como eles, geralmente, se formam.

Primeiramente, é preciso esclarecer que nem todo poro, necessariamente, resulta na formação de cravos: “Essa dilatação acontece quando ocorre o acúmulo de células mortas e óleo ao redor dos poros, fazendo com que eles aumentem de tamanho.”

Portanto, por mais tentador que seja espremê-los, estas cavidades contêm apenas acúmulo de impurezas. Segundo Novais, diversos fatores levam a esse processo, sendo estes os principais:

  • Envelhecimento por conta da diminuição de elasticidade da pele
  • Questões genéticas
  • Acúmulo de impurezas, principalmente em peles mistas e oleosas
  • Produção de sebo e suor em excesso (especialmente em dias mais quentes), que podem gerar cravos e evoluir o quadro para uma acne

 

Além de não haver motivos para espremer os poros dilatados, corre-se o risco de machucar a pele, deixá-la inflamada e contaminada. “A pessoa pode, até mesmo, gerar uma acne inflamatória, por causa dessa manipulação”, alerta a dermatologista.

Especialista orienta a nunca espremer poros dilatados e explica que sempre estes orifícios resultam em cravos — Foto: Freepik

Especialista orienta a nunca espremer poros dilatados e explica que sempre estes orifícios resultam em cravos — Foto: Freepik

Ao invés disso, a médica recomenta adotar algumas medidas básicas que podem ser colocadas em prática em casa mesmo! Ela conta que “ter uma rotina diária de cuidados ajuda a diminuir bastante as chances de desenvolver cravos”.

“É fundamental usar produtos que tenham compatibilidade com o tipo de pele e ter sempre o acompanhamento do seu dermatologista”, destaca Novais. Já apresentamos por aqui tutoriais de skincare para cada tipo de pele, mas no geral, as recomendações básicas são:

  • Ao final do dia, limpar a pele com demaquilante, água micelar ou o produto que melhor se encaixa nas suas necessidades.
  • Usar, preferencialmente, produtos oil-free (incluindo o protetor solar): “Produtos cremosos ou oleosos demais podem gerar ainda mais produção de sebo e dilatação dos poros”, alerta a especialista.
  • Pela manhã, lave o rosto com água fria para estimular a vasoconstrição, “que nada mais é do que a contração dos vasos sanguíneos e, consequentemente, a diminuição dos poros”, explica a médica.
  • Fazer esfoliação entre uma e duas vezes por semana, “lembrando sempre de usar um produto compatível com o seu tipo de pele”.

 

Mas se os cuidados em casa não estiverem dando conta de manter a pele livre dos poros dilatados, a médica lista algumas dicas que podem lhe dar uma mãozinha, mas que devem ser realizados apenas com acompanhamento médico:

  • Tratamentos com luz intensa pulsada: “Auxilia na diminuição das glândulas sebáceas e do tamanho do poro.”
  • Realizar a manutenção do procedimento em casa utilizando produtos que contenham ácido salicílico na fórmula: “Eles têm propriedade antimicrobiana que ajuda a afinar a camada espessa da pele e evita contaminação por bactérias”.
  • Faça limpeza de pele regularmente! Máscara e adesivos que propõem limpar poros ou remover cravos podem ser usados, com moderação, mas oferecem um resultado superficial, de acordo com Ligia Novais: “Para que uma limpeza de pele profunda seja realizada, ela deve ser feita em consultório com profissionais habilitados para um tratamento completo e eficaz, além de ser uma ótima maneira de tratar os poros dilatados.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *