segunda-feira, abril 22, 2024
Geral

Expectativa de vida do brasileiro sobe para 75,5 anos após queda na pandemia, mas é menor do que projeção inicial do IBGE

Após despencar durante a pandemia de Covid-19, a expectativa de vida do brasileiro ao nascer voltou a subir e chegou a 75,5 anos em 2022, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No entanto, ela está abaixo das projeções iniciais.

Antes da crise sanitária, em 2019, a expectativa de vida era de 76,2 anos. Em 2020, início da pandemia, caiu para 74,8 anos e, no ano seguinte, sofreu mais uma queda, ficando em 72,8 anos. Com o fim da pandemia, subiu para o patamar atual.

Esses números são bem inferiores às projeções iniciais que haviam sido feitas antes da crise de saúde no país e com base em dados disponíveis à época, que eram do Censo Demográfico de 2010.

Diante da pandemia e da atualização dos dados demográficos a partir do Censo de 2022, o IBGE refez todos os cálculos das chamadas “Tábuas de Mortalidade”.

Segundo Luiz d’Albuquerque Bello, assistente técnico de comunicação do IBGE, foi necessário recalcular as projeções anteriores para entender o cenário real da demografia do país, especialmente nos anos de pandemia.

As projeções sempre tiveram bons resultados para fins de acompanhamento demográfico. Até a chegada da pandemia, as projeções não ficaram muito distantes da demografia real. Mas, como não era possível prever a crise sanitária, os números ficaram mais distantes do que os cálculos permitiam considerar.
— Luiz d’Albuquerque Bello, assistente técnico de comunicação do IBGE

Entenda o significado do cálculo

 

O cálculo da expectativa de vida por ano de nascimento é uma projeção, e aponta qual é a expectativa de vida para os brasileiros que nasceram em 2022.

“Em outras palavras, espera-se que um recém-nascido no ano de 2022 viva, em média, 75,5 anos, caso este vivencie os níveis de mortalidade, ao longo de sua vida, semelhantes aos que a população apresentou em 2022, em cada idade”, explica o IBGE.

Além da expectativa de vida, o IBGE também calculou o tempo de vida a mais que cada brasileiro deve ter, em média, com base em sua idade.

A expectativa de vida sintetiza toda a experiência de mortalidade que uma pessoa média vai ter a partir daquela idade. Então, a taxa de vida ao nascer é o resumo do que se espera viver em cada uma dessas idades. Ela sintetiza toda uma experiência da mortalidade da população de todas as idades naquele ano.
— Izabel Guimarães Marri, pesquisadora do IBGE

Atualização dos cálculos

 

De acordo com as projeções de expectativa de vida feitas até 2021, a esperança de vida ao nascer estava em uma crescente constante. Os resultados eram calculados com base em informações de mortalidade da década passada e sem considerar qualquer tipo de efeito da pandemia.

No entanto, com a pandemia, as estimativas para 2020 e 2021 não se confirmaram, e houve uma mudança também no esperado para 2022.

As projeções foram revistas pelo IBGE com base em dados recentes do Censo Demográfico de 2022 e com informações de mortalidade por faixa etária nos anos de pandemia.

Agora, de acordo com o órgão, os números estão mais próximos da realidade dos últimos anos.

Mudanças na projeção por gênero

 

Os dados divulgados nesta quarta mostram ainda que, apesar da queda na expectativa de vida média, a diferença entre as projeções para homens e mulheres cresceu.

  • 🧓🏾 Em 2021, a esperança de vida ao nascer para os homens era de 73,6 anos. Em 2022, a expectativa ficou em 72 anos.
  • 👵🏾Para as mulheres, a previsão de vida era de 80,5 anos em 2021, e caiu para 79 anos em 2022.

 

Com isso, a diferença da expectativa entre os gêneros foi de 6,9 anos para 7 anos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *