‘Somos rivais só dentro da arena’, diz adversária de Isabelle no Festival de Parintins
3 mins read

‘Somos rivais só dentro da arena’, diz adversária de Isabelle no Festival de Parintins

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Rivais, mas não inimigas. É assim que Marciele Albuquerque, a cunhã-poranga do Boi Caprichoso, define Isabelle Nogueira, a participante do BBB 24 (Globo) que ocupa o mesmo posto que ela, só que no rival Boi Garantido. As duas agremiações disputam todos os anos o Festival de Parintins, que ocorre desde 1965 no município amazonense de mesmo nome.

Para quem não conhece, vale explicar que a rivalidade entre os Bois não deve nada à das torcidas de futebol em um clássico como Flamengo e Fluminense, ou a uma acalorada discussão nas redes sociais sobre o certo ser “biscoito ou bolacha”. Por isso mesmo, surpreendeu quando a “cunhã”, como foi apelidada no reality, recebeu o apoio público do Caprichoso ao ser indicada ao paredão.

“A rivalidade de quem é melhor é muito grande, mas somos rivais dentro da arena. Não temos problemas fora”, diz Marciele, que também explica que o termo cunhã-poranga vem do tupi e significa “moça bonita”. Na apresentação, elas representam a força feminina dentro dos povos indígenas, e os critérios de avaliação são movimentos, simpatia, traje e beleza, entre outros.

Marciele conta que, justamente por serem adversárias, precisa assistir às apresentações de Isabelle, e não deixa de elogiar a amazonense, a quem define como boa dançarina. Devido aos cargos, as duas também trabalham juntas em campanhas e comparecem a eventos como as representantes dos respectivos grupos.

“Ela é muito determinada, faz os movimentos muito bem definidos, com precisão. Somos colegas, não temos amizade, mas temos respeito. A rivalidade é de uma querer dançar melhor que a outra, mas nunca discutimos”, afirma. E ressalta: “Essa provocação existe só entre os torcedores”.

A cor oficial do Boi Caprichoso é o azul, enquanto a do Garantido é o vermelho. Do povo munduruku, que usa frequentemente as cores amarela e vermelha, Marciele diz que agora já não usa mais o tom e nem algo que se aproxime, como o rosa. Mas afirma não sentir falta.

“Vermelho nunca esteve na minha paleta de cores. Quando vou para Juruti [sua cidade natal, no Pará], só uso amarelo. Se usasse a cor do rival, as pessoas iriam falar: ‘Tu é Garantido com vergonha'”, diz, aos risos.

Marciele, de 30 anos, conta que se mudou para Manaus para cursar administração e se formou em 2016. Desde 2017, é a musa do Boi Caprichoso. Ela diz que sempre torceu para o grupo por influência da família e pela proximidade de Juruti com a cidade de Parintins, onde frequentava o festival desde criança.

Segundo ela, a maioria de seus amigos torcem para o Garantido, “mas no item [cunhã-poranga] torcem para o Caprichoso”. Já no BBB, até ela está vibrando desde que soube que Isabelle disputava uma vaga no reality -ela até fez até campanha para a rival ser escolhida para o Puxadinho nas redes sociais.

Para ela, ter uma cunhã-poranga no reality show mais assistido do Brasil é uma forma de valorização da cultura local. “Senti orgulho, ela está tornando o Festival conhecido para outras regiões com maestria”, avalia. “É algo pelo qual brigamos muito. Fora da arena, estamos unidas pelo Amazonas.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *