Jovem de 19 anos é executado a tiros em via pública no Segundo Distrito de Rio Branco
2 mins read

Jovem de 19 anos é executado a tiros em via pública no Segundo Distrito de Rio Branco

Noite de domingo, dia 11, no bairro Belo Jardim I, no Segundo Distrito de Rio Branco, foi marcada por um episódio de violência que chocou os moradores locais. André Barroso, um jovem de apenas 19 anos, foi brutalmente executado a tiros em plena via pública.

De acordo com informações da polícia, André foi abordado por criminosos não identificados enquanto caminhava pela rua. Armados, os agressores dispararam seis tiros contra o jovem, atingindo-o pelo menos duas vezes nas costas e na cabeça. Após o ato violento, os autores do crime empreenderam fuga do local, deixando para trás o cenário de horror.

Um motoboy que passava pela região no momento dos disparos relatou ter ouvido os tiros e, ao retornar pelo local após efetuar uma entrega, se deparou com André gravemente ferido, sangrando na cabeça.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado, mas, lamentavelmente, os paramédicos não puderam salvar a vida de André, constatando seu óbito ainda no local.

Familiares informaram à reportagem que André enfrentava problemas psicológicos e estava envolvido com uma organização criminosa. Além disso, já havia sido vítima de uma tentativa de homicídio anteriormente e levava uma vida nômade.

A área foi isolada pela Polícia Militar do 2° Batalhão para permitir os trabalhos da perícia criminalística. As autoridades realizaram buscas na região na tentativa de capturar os responsáveis pelo crime, porém, até o momento, não obtiveram êxito. O corpo de André foi removido e encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para os devidos exames cadavéricos.

A polícia suspeita que o assassinato possa estar ligado à guerra entre facções criminosas, uma vez que André teria trocado de grupo recentemente.

O caso está sob investigação inicialmente a cargo dos Agentes de Polícia Civil da Equipe de Pronto Emprego (EPE) e, posteriormente, será encaminhado à Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), onde serão tomadas as medidas cabíveis para elucidar o ocorrido e responsabilizar os envolvidos nesse crime hediondo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *