Autor: Fabiano Azevedo

Geral
Cachorrinho é devorado por crocodilo em lago; veja vídeo

Cachorros, na maioria, são amigáveis e dóceis e acabam sendo presas fáceis quando se trata de animais maiores. 

Um cachorro foi devorado por um crocodilo em um lago. As imagens são fortes e comoveram vários internautas. No vídeo é possível ver o pet se divertido na água, mas late para o réptil que de maneira repentina e silenciosa puxa o cachorrinho para dentro da água. 

Veja o vídeo 

Esportes 2
Corinthians prioriza Paulista e poupará jogadores na Copa Sul-Americana

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Ao divulgar a lista de relacionados para o duelo desta quinta-feira (13), contra o Peñarol (URU), o técnico Vagner Mancini indicou que o Corinthians dará prioridade ao Campeonato Paulista em detrimento da Sul-Americana. O jogo contra os uruguaios pela competição continental será em Montevidéu, às 21h30, com transmissão da Conmebol TV.

Para a partida, que poderá significar a eliminação do time alvinegro em caso de derrota, o treinador decidiu poupar seis jogadores que foram titulares no confronto com a Inter de Limeira, na terça-feira (11), quando a equipe corintiana venceu por 4 a 1 e avançou às semifinais do Estadual.
Dos atletas que ficaram no país, Jemerson, com dois gols, e Fagner, com um, foram dois dos principais responsáveis pela boa atuação no mata-mata, considerada uma das melhores do time na temporada.

“A equipe melhorou bastante por causa do sistema de jogo, mas principalmente pela individualidade de cada jogador, que entendeu o sistema e está se doando. O Corinthians hoje é um time mais competitivo”, avaliou Mancini.

Além do zagueiro e do lateral, o também defensor João Victor, os volantes Gabriel e Ramiro e o meia Luan são os outros poupados da viagem ao Uruguai.

Com quatro pontos, o Corinthians é o segundo colocado do Grupo E, atrás dos uruguaios, que somam nove, restando três rodadas até o fim da primeira fase. Somente o primeiro colocado de cada chave avançará ao mata-mata.

Por isso, até mesmo um empate nesta quinta poderá deixar o time alvinegro em situação bem complicada, uma vez que teria de vencer suas duas últimas partidas, contra River Plate (PAR) e Sport Huancayo (PER), ambas em Itaquera, e ainda contar com duas derrotas do Peñarol contra os mesmo adversários.

Entre os compromissos pela Sul-Americana, o time de Mancini terá a sequência do Paulista. No domingo (16), a equipe disputará a semifinal do Estadual, em jogo único. O Corinthians ainda espera a definição de seu oponente no torneio.

PEÑAROL

Dawson; Díaz, Formiliano, Kagelmacher e Piquerez; Gargano, Trindade, Giovanni González e Facundo Torres; David Terans e Álvarez Martínez. T.: Mauricio Larriera

CORINTHIANS

Cássio; Mandaca, Bruno Méndez, Gil e Fábio Santos; Xavier e Camacho (Roni); Gustavo Mosquito, Vitinho e Mateus Vital; Jô. T.: Vagner ManciniEstádio: Campeón del Siglo, em Montevidéu (URU)

Horário: 21h30 (de Brasília) desta quinta-feira (13)

Árbitro: Nestor Pitana (ARG)

Transmissão: Conmebol TV

Mundo
Estudo aponta eficácia de 98% da Coronavac contra morte por Covid na Indonésia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A Coronavac, vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac, apresentou uma taxa de efetividade, ou seja, eficácia na vida real, de 98% contra mortes e de 96% contra hospitalização por Covid-19 em profissionais da saúde na Indonésia.

Os resultados são a partir do uso em 128.290 médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde da linha de frente em Jacarta, capital do país asiático. Eles receberam o imunizante entre janeiro e março deste ano.

O estudo apontou, ainda, além da alta proteção contra mortes e internações, uma prevenção de 94% da vacina contra casos sintomáticos de Covid.

Os dados, que ainda não publicados oficialmente, foram anunciados nesta quarta-feira (12) pelo coordenador do estudo e autoridade em saúde no país, Pandji Dhewantara.

A pesquisa comparou as pessoas vacinadas com aquelas não vacinadas. Em janeiro, 64 profissionais de saúde morreram no país de Srag (Síndrome Respiratória Aguda Grave) por Covid, o maior número desde o início da pandemia. Esse número caiu pela metade em fevereiro (um mês após o início da imunização) e para um oitavo em abril -quando foram vacinados 20 milhões de pessoas em todo o país.

A Indonésia tem uma população de 181 milhões de pessoas e contabilizou, até esta quarta, 1,7 milhão de casos de Covid e 45.090 mortes. Os profissionais de saúde do país foram fortemente afetados pela pandemia, com quase mil mortes nesse grupo até o dia 22 de abril.

O país decidiu iniciar a campanha de vacinação pela população mais jovem, como forma de incentivar a imunização, que enfrentava rejeição principalmente entre aqueles abaixo dos 30 anos.

Os resultados promissores, ainda que preliminares, dão um bom indicativo de como a vacina deve se comportar em outros países, uma vez que os estudos de fase 3 (a última antes da aprovação) da Coronavac apresentaram taxas de eficácia distintas.

Na Turquia, essa taxa foi de quase 92%, embora o número de participantes ali tenha sido muito pequeno (cerca de 1.300 pessoas), enquanto na Indonésia ela havia sido estimada em 65%.

No Brasil, o estudo chamado Profiscov, que avaliou 12 mil profissionais de saúde com idades entre 18 e 65 anos, apontou uma eficácia global de 50,7% do imunizante contra casos sintomáticos de Covid e de 84% contra hospitalizações.

Não houve casos de morte reportados, embora a taxa de eficácia para esse desfecho ainda não tivesse sido estatisticamente significativa. Se aplicada com um intervalo maior entre as doses, de mais de 21 dias, a Coronavac gera uma proteção de cerca de 64%.

À semelhança do estudo da Indonésia, um estudo brasileiro procura buscar a efetividade do fármaco, produzido no país pelo Instituto Butantan, na população geral.

Desenvolvido em Serrana, o estudo espera obter a taxa de proteção da vacina a partir da imunização de toda a população acima dos 18 anos no município no interior de São Paulo. A vacinação em massa já foi concluída e o Butantan espera fechar os resultados até o final deste mês.

Notícias em Geral
Pedido de inquérito contra Toffoli atropela PGR e ameaça democracia

O delegado Bernardo Guidali Amaral, da Polícia Federal, pediu ao Supremo Tribunal Federal a abertura de um inquérito contra o ministro Dias Toffoli, integrante da Corte, pelo suposto favorecimento de prefeitos fluminenses em troca de R$ 4 milhões. A solicitação se baseia exclusivamente na delação premiada de Sérgio Cabral (MDB), ex-governador do Rio de Janeiro. O político afirmou ter ouvido dizer que Toffoli, quando no Tribunal Superior Eleitoral, topou a vantagem ilícita. 

Raquel Dodge, ex-procuradora-geral da República, já havia arquivado os trechos da colaboração de Cabral que citam Toffoli, considerando a falta de elementos contra o ministro. O atual PGR, Augusto Aras, em breve deve se manifestar de modo parecido, segundo informações do Jota

Um dos principais aliados do ex-ministro da Justiça Sergio Moro, o delegado da PF já pediu, em 2014, a prisão temporária da ex-presidente Dilma Rousseff, do ex-ministro Guido Mantega e do senador Eunício Oliveira (MDB-CE), então presidente do Senado. Os três teriam cometido crimes cinco anos antes, nos idos de 2009.

O próprio Ministério Público teve que desautorizar Amaral dizendo o óbvio: não é possível decretar temporária, sob o pretexto de que os políticos poderiam atrapalhar as investigações, com base em supostos fatos cometidos havia cinco anos. A informação é de Reinaldo Azevedo, do UOL.

De acordo com especialistas ouvidos pela ConJur, não há nada que justifique a abertura do inquérito contra Toffoli. Os advogados também disseram que a PF tenta atropelar a PGR; que o ataque ao ministro tem por base puramente uma delação premiada, o que não é permitido; e que o ofício ameaça a democracia e o Estado de Direito. 

“Há muito tempo temos chamado a atenção para o fato de que a delação premiada passou a ser um instrumento de ataque contra alvos pré-definidos. É uma ferramenta para a prática do lawfare. O material que levamos ao STF na Reclamação 43.007 é prova disso”, disse à ConJur o advogado Cristiano Zanin, em referência aos diálogos entre procuradores do Paraná e o ex-juiz Sergio Moro. 

O jurista Lenio Streck, colunista da ConJur, afirmou que a Polícia Federal desrespeitou hierarquias institucionais ao enviar o pedido ao Supremo. “O delegado ultrapassou o Rubicão. Foi longe demais. Passou por cima do procurador-geral da República, o que não é pouca coisa. Pegou uma xepa de delação rejeitada do MP. Grave. Ele não atinge o ministro Dias Toffoli. Parece que seu alvo é o STF”, pontuou. 

Streck também tratou do tema em artigo publicado na ConJur nesta quarta-feira (12/5). “A delação da qual o delegado fez xepa é de um delator isolado (Cabral, condenado a três séculos de prisão), quem disse que ouviu dizer. Bom, estamos carecas em saber que o STF considera insubsistente, írrita, uma delação isolada, mormente quando baseada em ‘ouvi dizer que’, diz trecho do artigo.

Lenio também lembra que a lei da colaboração premiada (Lei 12.850/13) impede divulgação do que foi delatado antes de haver processo. Por isso, questiona: “Como o delegado divulgou o pedido que fez? Há, já nisso, uma violação à legalidade” — já que a delação fora rejeitada pelo próprio MPF.

O advogado Pierpaolo Cruz Bottini lembra que investigações não podem ser tocadas apenas com base na palavra do delator, conforme a jurisprudência do Supremo e a lei “anticrime” (Lei 13.964/2019).

“A exposição da vida e da imagem das pessoas — sejam elas quem forem — com base apenas na palavra do colaborador é vedada por lei. Não há no caso um indício sequer que indique o envolvimento do ministro Toffoli em atos ilícitos. Nada que justifique essa suspeita.”

Prerrogativas
Grupo Prerrogativas, composto por profissionais do Direito, juristas, professores, advogados, entre outros, disse que o pedido ameaça a democracia e o estado de direito. 

“O inusitado do fato é que o delegado da Polícia Federal desrespeita todas as hierarquias institucionais e a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, ao querer investigar um ministro baseado na palavra de um delator e contra decisão expressa do Procurador-Geral da República, que controla externamente a Polícia Federal”, disse o grupo em nota. 

“Nitidamente, a autoridade policial, no seu inusitado ato, ultrapassou os limites traçados em um Estado democrático de Direito, que estabelece as funções e as respectivas competências e atribuições de cada um, além do óbvio desvalor que tentativas de investigação descabidas acarretam, razão pela qual o legislador alçou esse tipo de atitude à categoria de crime”, prossegue. Clique aqui para ler a nota na íntegra

Notícias em Geral
Produtor rural agradece maquinário cedido pela Prefeitura de Rio Branco

A Prefeitura de Rio Branco, por meio do gestor da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (Seinfra), Valmir Alexandre Médici, esteve na tarde dessa terça-feira, 11, no estrada do Mutum, KM 06, em visita técnica, pois é uma área que entrará no cronograma para o melhoramento do ramal.

Durante a visita, Valmir Médici foi abordado por um produtor rural que queria agradecer a prefeitura pelo trator recebido para a colheita de milho. De acordo com o produtor rural, Araal Correia Paim, antes de receber o trator para colheita, ele fazia a retirada do milho manualmente nos 10 hectares de plantação.

“Hoje tenho um maquinário que tem até ar condicionado, tem tudo. Chegaram até mim e entregaram o trator e disseram ‘vá trabalhar’, eu sou tratorista e agradeço muito ao prefeito Tião Bocalom”, disse o produtor.

Na ocasião, estava presente também o vereador Samir Bestene. “Convidamos o secretário Valmir da Seinfra para dar infraestrutura aqui, e no inverno e verão, o produtor levar o seu produto para a nossa cidade.”

A prefeitura de Rio Branco por meio da Agricultura Familiar e Desenvolvimento Econômico (Safra), tem um projeto de mecanização para os pequenos produtores rurais. Para ter acesso ao maquinário basta ir até a Safra e realizar o cadastro.

Notícias em Geral
Governador Gladson Cameli pediu e as obras do viaduto da Corrente deverão ser licitadas ainda este ano

Brasília – O governador Gladson Cameli pediu e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes, afirmou ser possível que a licitação das obras do primeiro viaduto do Acre, no anel viário da Corrente, em Rio Branco, seja realizada ainda no segundo semestre deste ano.

Em audiência, na manhã desta quarta-feira, 12, com o ministro Tarcísio Gomes, o governador entregou o pré-projeto do viaduto e solicitou a liberação de recursos e urgência na execução da obra, localizada na confluência entre a rodovia AC-40 e a BR-364.

“Esse viaduto é de extrema importância para desafogar o trânsito, agilizar o transporte de cargas e contribuir para o desenvolvimento econômico e social do Acre”, explicou o governador na audiência. Recebeu do ministro a garantia de agilidade na análise dos documentos necessários e a possibilidade de a licitação ocorrer no próximo semestre.

“Essa é uma das obras prioritárias para o governo federal, que está empenhado em melhorar o sistema de transporte do País”, disse o ministro, que já entregou o pré-projeto do viaduto para análise do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

De acordo com o diretor-presidente do Departamento de Estradas de Rodagens do Acre (Deracre) Petrônio Antunes, que acompanhou o governador na audiência, as obras do viaduto da Corrente estão orçadas em cerca de R$ 65 milhões. O viaduto, também contará com vias de acessos laterais e outras medidas como a ampliação da ciclovia da Avenida Chico Mendes, na Rodovia AC-40.

Também participaram da audiência o representante do governo do Acre em Brasília, Ricardo França; o procurador-geral do Estado, João Paulo Setti; além de Eduardo Praça, assessor especial do Ministério da Justiça; Elias Brito, assessor parlamentar do Ministério da Justiça; Adriano Souza, da diretoria-geral do DNIT. O senador Marcio Bittar, o deputado estadual Roberto Duarte e o secretário de Justiça e Segurança Pública, Paulo Cézar Santos, também estiveram na reunião.

Política
Comitiva de políticos acreanos se reúne com ministro para tratar da recuperação da BR-364 entre Rio Branco a Cruzeiro do Sul

O primeiro-secretário da Assembleia Legislativa do Acre, deputado Luiz Gonzaga (PSDB), participou de uma comitiva de políticos acreanos que se reuniu na terça-feira (11) com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes, para tratar sobre melhorias na BR-364 entre Rio Branco a Cruzeiro do Sul.

Participaram da reunião o vice-governador do Acre, Major Rocha (PSL), a deputada federal Mara Rocha (PSDB), deputados estaduais Luiz Gonzaga (PSDB), Roberto Duarte (MDB), prefeitos de Epitaciolândia, Sérgio Lopes, e de Acrelândia, Olavinho. A reunião foi solicitada pela deputada federal Mara Rocha.

Segundo informações repassadas pelo deputado Gonzaga, o ministro Tarcísio garantiu que esse ano ainda será realizado um trabalho de manutenção da BR, mas que a partir do ano que bem já existe um projeto de restauração estrutural da rodovia.

”O ministro nos garantiu que a BR-364 entre Rio Branco a Cruzeiro do Sul passará por serviços de recuperação ainda esse ano e que em 2022 o governo federal já trabalha com um projeto de restauração da estrada que vai desde a modificação do solo e aplicação de uma camada mais densa de asfalto”, disse.

Gonzaga, que tem como uma de suas bandeiras de mandato a defesa do desenvolvimento do Acre através da produção agrícola, vem lutando desde o seu primeiro mandato para que a BR-364 não volte mais a fechar por causa de falta de manutenção e prejudique o escoamento da produção acreana.

”A BR-364 aberta o ano inteiro e com condições de trafegabilidade representa desenvolvimento econômico para nosso estado já que muitos produtores dependem dela para exportar seus produtos para fora do estado. Vamos lutar para que os pontos críticos das estrada sejam recuperados”, finalizou o deputado.

Entretenimento
Gilmelândia substitui Thaeme em júri do Revelações Brasil

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A cantora e apresentadora baiana Gilmelândia substitui Thaeme, que faz dupla com o cantor Thiago, na cadeira rotativa do Revelações Brasil, reality musical da TV Aparecida, que inicia a etapa de repescagem na quarta-feira (12). Thaeme encerrou sua participação no programa na fase de batalhas.

Nesta terceira temporada, o programa apresentado por Amanda Françoso tem uma cadeira rotativa no júri. Dos três avaliadores da bancada, dois são fixos, a cantora Adryana Ribeiro e o maestro Rodrigo Costa. Thaeme participou de duas fases do programa como jurada das Audições e Batalhas, que foi encerrada no dia 5 de maio.

Gilmelândia assumirá a cadeira rotativa nas fases “Repescagem” e “Histórias”. Para as fases “Homenagens” e “Semifinal”, o Revelações Brasil contará com Frank Aguiar e Rick e Renner na cadeira rotativa.

“A vantagem é que quem chega mantém um olhar fresco e de novidade com relação ao candidato. Sabemos que os cantores têm sonhos de uma vida e de uma cidade. Mais do que um julgamento, damos são dicas, conselhos”, diz Amanda Françozo.
Animada com o convite, Gilmelândia diz que ama a TV Aparecida. “É um lugar maravilhoso, cheio de paz, de pessoas incríveis. Sou amiga da Amanda [Françozo] e quando soube que ela estava fazendo o programa [Revelações Brasil], falei: “meu Deus, vai juntar tudo: meu amor pela TV, por ela [Amanda], o amor pela música – formato do programa – com artistas incríveis”, afirma.

A nova leva de episódios traz ainda mais algumas novidades. A principal delas é a ampliação da abrangência de ritmos musicais. Se antes o sertanejo era o único estilo cantado pelos candidatos, agora haverá rock, pop, samba, MPB, entre outros.

A segunda mudança é no cenário e no palco, que agora estão maiores e mais modernos. A bancada dos jurados fica no mesmo nível dos candidatos e não mais um degrau abaixo, para que todos possam se olhar nos olhos. E se antes a primeira apresentação era à capela, agora a banda os acompanha desde o início.

“Os participantes podem escolher suas músicas a todo momento e a dinâmica mudou. Nas temporadas passadas, a fase das batalhas, por exemplo, era com sete pessoas. Agora é um contra um. Também teremos homenagens aos ídolos e músicas que remetam à vida de cada um”, diz a apresentadora.

Economia
Em 12 meses, inflação já tem alta de 6,76%

Os preços dos combustíveis deram trégua à inflação em abril, mas o reajuste de medicamentos autorizado pelo governo pesou no bolso das famílias. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) desacelerou de 0,93%, em março, para uma alta de 0,31% no mês passado, segundo o IBGE.

Apesar da melhora, a taxa de inflação acumulada em 12 meses subiu a 6,76%, o maior patamar desde novembro de 2016, ante uma meta de inflação de 3,75% perseguida pelo Banco Central este ano. A expectativa é que o IPCA encerre 2021 em 5,5%, acima do teto de tolerância (de 5,25%) da meta, previu o sócio-diretor da Macrosector Consultores, Fábio Silveira.

“Em maio, o IPCA pode até ficar em 0,30%, 0,35%, mas a partir de meados do ano a pressão deverá voltar no que pese a redução do câmbio”, disse ele, acrescentando que a inflação atual é puxada pelos preços das commodities no mercado internacional e que o comportamento destes produtos tende a ser mais intenso na segunda metade do ano.

A gestora de recursos Quantitas elevou a projeção para o IPCA de 2021 de 5,38% para 5,65%, mencionando repasse de alta de custos de produção em setores como vestuário e eletroeletrônicos. “Assim, passei a trabalhar com um cenário mais pressionado para bens e serviços ao longo dos próximos meses”, justificou o economista João Fernandes, sócio da gestora.

O Banco ABC Brasil também elevou sua previsão para o IPCA deste ano, de 4,90% para 5,40%, devido a pressões adicionais em alimentos e bens industriais, mas também pela expectativa de aumento na cobrança adicional nas contas de luz pelo acionamento da bandeira tarifária vermelha.

A queda no preço da gasolina e do etanol foi o principal fator de desaceleração no IPCA na passagem de março para abril, mas a alta mais branda no gás de botijão e a queda na tarifa de energia elétrica também contribuíram para o resultado, afirmou Pedro Kislanov, gerente do Sistema Nacional de Índices de Preços do IBGE.

Por outro lado, as famílias gastaram 1,19% a mais com saúde e cuidados pessoais em abril, o equivalente a mais da metade (0,16 ponto porcentual) da inflação do mês. A alta foi impulsionada pelos produtos farmacêuticos (2,69%). No dia 1º de abril, foi autorizado o reajuste de até 10,08% no preço dos medicamentos, dependendo da classe terapêutica.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Economia
Custo de despesas básicas sobe 30% acima da inflação e corrói orçamento

Na casa do executivo Marcio Douglas Moura de Araújo, algumas mudanças tiveram de ser adotadas para equilibrar o orçamento com a escalada das despesas essenciais. O cardápio foi readaptado com produtos mais baratos. No lugar da carne, frango, fígado e, às vezes, peixe. Para reduzir o consumo de energia elétrica e gás, ele virou um verdadeiro fiscal. “Desligo o aquecedor de manhã e só ligo à noite. Apagamos todas as lâmpadas, tiramos os eletrodomésticos das tomadas e evitamos o uso do ar-condicionado em dias mais arejados”, diz ele. Mesmo assim, com quatro pessoas mais tempo dentro de casa, a conta de luz subiu 15%. No fim do mês, diz ele, não sobra praticamente nada.

O aperto na renda de Araújo é uma realidade na vida da maioria dos brasileiros, que têm visto despesas essenciais, como alimentação, energia elétrica e combustível, corroerem boa parte do salário mensal. Isso tem ocorrido porque o preço de alguns desses gastos subiu acima da inflação, conforme levantamento feito pela Tendências Consultoria Integrada a pedido do Estadão.

No ano passado, a inflação média dos itens essenciais ficou 30% acima do IPCA, de 4,5%. Mas, em alguns casos, a diferença foi bem maior. A energia elétrica, por exemplo, subiu 9,12% e a alimentação em casa, 18,16%. Esse movimento continuou no início deste ano, com a explosão de 21,65% dos preços dos combustíveis (veículos e gás) até março. Os aumentos já foram suficientes para deixar a inflação das despesas essenciais 22% acima do IPCA neste ano – os números não consideram o índice de abril anunciado hoje de 0,31%.

Isso significa que boa parte da renda disponível está sendo comprometida com apenas algumas despesas, diz a economista da Tendências Consultoria Integrada, Isabela Tavares, responsável pelo levantamento. “Na prática, tem sobrado menos dinheiro para gastar com bens e serviços.” De janeiro de 2020 para cá, a renda disponível (depois do pagamento de despesas essenciais) para gastar com esses itens caiu de 42,11% para 41,33% – o menor patamar, pelo menos, desde 2009. Só no ano passado, essa queda representou R$ 45 bilhões a menos de consumo para o brasileiro.

O movimento, no entanto, não é recente. Em 2012, a renda disponível do brasileiro era de 45,47%. Nesse período, a escalada dos preços de despesas essenciais acima da inflação vem corroendo gradualmente a renda do brasileiro. “A pressão inflacionária aliada à deterioração do mercado de trabalho tem restringido cada vez mais o consumo de outros bens e serviços”, diz Isabela.

O problema é que essa escalada não deve parar por aí, afirmam especialistas. Na energia elétrica, por exemplo, são previstos para este ano novos e salgados aumentos na conta de luz do brasileiro. Rodrigo Moraes, especialista em Planejamento Energético da Go Energy, explica que, apesar de haver sobreoferta de energia, a expectativa é de que o preço continuará elevado durante todo este ano.

“Estamos enfrentando um período crítico de chuva, que afeta os reservatórios e obriga o acionamento de termoelétricas, mais caras. Neste ano, não teremos bandeira verde”, diz ele. No momento, a bandeira definida pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) é vermelha, que indica que haverá acréscimo no valor da energia a ser repassada ao consumidor final.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.