banner 2 onda
Banner_doador

Poucos entendem os motivos de Gladson Cameli surfar em popularidade como homem público no Acre: fácil explicar

"A política é uma guerra sem derramamento de sangue, e a guerra uma política com derramamento de sangue" - Mao Tse-Tung

Por Francisco Fabiano em 05/11/2020 às 17:46:24

O segredo da popularidade Gladson Cameli

Fácil, muito fácil, desvendar o segredo da politicamente estratosférica popularidade do governador Gladson Cameli entre os acreanos. A popularidade do governador é tamanha que, em Cruzeiro do Sul, sua cidade natal, supera os 90 por cento de aceitação, segundo atestou pesquisa de opinião pública do Instituto Data Control, divulgada nesta quinta-feira 05/11. O segredo é simples: neste período de pandemia do novo coronavirus, Gladson Cameli comportou-se como um estadista, preocupado com a saúde e a vida de seus governados, Na busca por meios de combater a doença ou não permitir que seus efeitos chegassem, por exemplo, ao que foi a tragédia vivida pela doença em Manaus, no Amazonas, ele não pensou em limites.


Meios para combater a tragédia

Agora, quando a doença ameaça a sua segunda fase de infecção, o governador voltou à luta em busca de meios de fazer com que a tragédia no Acre seja a menor possível. Para isso, na sua passagem por Brasília, nesta semana, ele esteve reunido com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre, juntamente com governadores de outros estados brasileiros, para solicitar apoio do Congresso Nacional ajuda na aquisição de doses da vacina contra a Covid-19 e logística na distribuição em todo o país, assim que o produto estiver pronto, o que deve ocorrer nos próximos dois meses.

Pronto para comprar a vacina

De acordo com o governador, os dois homens fortes do Legislativo brasileiro deram sinalização extremamente positiva e colocaram-se à disposição para tratar do assunto com o parlamento e com o presidente Jair Bolsonaro, para que uma solução seja encontrada. "Aqui no Acre, já comuniquei à Assembleia Legislativa a possibilidade de alteração da LDO [Lei de Diretrizes Orçamentárias] para que, caso seja necessário, tenhamos recursos disponíveis para comprar a vacina. Escolhemos salvar vidas e é assim que venceremos essa guerra", disse o governador, sobre o assunto.


Passado que compromete

Em Brasiléia, os apoiadores da ex-prefeita Leila Galvão, que busca retornar ao cargo agora pelo MDB contra sua ex-aliada Fernanda Hassem, do PT, estão uma fera com os petistas. Dirigentes locais do PSL, cujo candidato a vice, Charbel, é do Partido, estão ameaçando ir à Justiça contra uma peça publicitária utilizada por Fernanda Hassem e seus apoiadores. Na peça, Leila Galvão, quando era deputada estadual pelo PT, aparece pedindo votos para Fernanda Hassem. Só que agora, quatro anos depois, malandramente, os petistas não dizem que o pedido de votos é do passado e os eleitores, notadamente os que não são muito apegados à política, estão pirando no cabeção.

Criatura contra criadora

O pessoal do PSL de Brasiléia deve ir às portas da Justiça local questionando também até o tamanho das bandeiras utilizadas por Fernanda Hassem. A principal dirigente do PSL local acusa a Justiça Eleitoral de inércia em relação às denuncias de abuso de poder econômico por parte de Fernando Hassem. O posicionamento do pessoal do PSL em relação a candidata do PT é quase uma aceitação de que a atual prefeita pode vencer o pleito. Popular e com uma campanha redonda, Fernanda Hassem pode bater sua antiga tutora Leila Galvão. A criatura voltou-se contra a criadora.

Everton Soares é beneficiado pela xenofobia


Em Epitaciolândia, o PSL está voando alto com a candidatura do comerciante Everton Soares, que está coligado com o PSD de Chiquinho Chaves, candidato a vice. O mais próximo concorrente de Soares é o delegado Sérgio Lopes. Mas, nos últimos dias, vazou um áudio de internete de uma senhora, que dizem ser mulher do candidato a vice de Sérgio Lopes, falando mal dos acreanos. Na gravação, ela repete a velha cantilena de que o acreano é indolente, preguiçoso, que não sabia plantar nem mesmo a agricultura necessária à alimentação da sociedade local e que isso só mudou depois que eles, os sulistas, que incluem paranaenses e outros do tipo, como ela e seu marido. A gravação, divulgada na Intenete, açulou o sentimento xenófobo dos epitaciolandenses e isso tem ajudado a Everton Soares.


Macaxeira nela



Preconceituosa, a mulher diz que o acreano de Epitaciolândia só sabia comer e plantar macaxeira. A declaração antipática virou memes na Internete e atingiu em cheio a candidatura de Sérgio Lopes, a quem a mulher preconceituosa apoia. Em Epitaciolândia, a resposta é que Sérgio Lopes e sua turma procurem outro quintal para plantar macaxeira e a própria vida. Só lembrando: Sérgio Lopes não é acreano e está faz menos de uma década em Epitaciolândia.


Tião Flores, o prefeito pagão

O prefeito de Epitaciolândia, Tião Flores, candidato à reeleição pelo PP, teria sido abatido no ninho. Além de fazer uma administração apenas mediana, Tião Flores teria cometido erros políticos fatais, como, por exemplo, a filiação ao PP na esperança de que isso agradasse ao governador Gladson Cameli. Ocorreu que o próprio Gladson incompatibilizou-se com o PP por causa da candidatura de Tião Bocalom à Prefeitura de Rio Branco, e deixou Tião Flores pagão. Como o prefeito não é lá uma Brastemp, sem o apoio do governador, deverá amargar derrota.


Bira deve ser reeleito em Xapuri

Já em Xapuri, até os adversários dão certa como certa a reeleição do prefeito Bira Vasconcelos, do PT. Dizem que Bira fez uma administração sem escândalos, dentro do eticamente correto e até conseguiu aumentar salários de servidores num momento em que muitos prefeitos queriam diminuir valores ou simplesmente demitir servidores. Bira, ao contrário, teria mostrado que, sem roubar, dar para fazer muito. Por isso, Bira deve ser reeleito.


Sargento Adonis diz que continua no páreo

Em Cruzeiro do Sul, nem mesmo com as pesquisas colocando-o em terceiro lugar e como um campeão de rejeição, à frente até mesmo do campeão deste quesito, o candidato do MDB, Fagner Sales, o Sargento Adonis, que disputa a Prefeitura pelo PSL coligado com o DEM, não perdeu a fé e a esperança. Disse, por meio da assessoria, que apoia a ideia do promotor de Justiça e eleitoral de Cruzeiro do Sul, que está pedindo a impugnação da pesquisa por irregularidades, e por acreditar que os pesquisadores não foram à zona rural e aos bairros periféricos de onde Adonis espera vir bem votado.

Adonis conta com o nojo do povo ao escândalos



Verdade seja dita: a pesquisa do Data Control, que põe o candidato Zequinha bem à frente dos demais concorrentes, foi feita antes das ações e batidas da Polícia Federal que implicou os financiadores de sua candidatura, entre eles o presidente da Assembleia, deputado Nicolau Júnior, assim como a deputada Antônia Sales, fiadora da candidatura do filho Fagner Sales, do MDB. É neste sentido que Sargento Adonis se mantém otimista porque, segundo ele, quando a população de Cruzeiro do Sul souber que os deputados Nicolau Junior e Antônia Sales estão proibidos pela Justiça de acessarem o prédio da Assembleia Legislativa, exatamente pelos mal feitos com dinheiro público e cujas imagens apareceram às rumas no horário eleitoral em Cruzeiro do Sul, isso atingirá em cheio as candidaturas tanto de Zequinha Lima como de Fagner Sales. "A população honesta, que é a grande maioria do nosso povo, está farta desses escândalos", diz Adonis.

Gladson: Fagner é de uma oligarquia familiar

No horário político na TV nesta quinta-feira 05/11, em Cruzeiro do Sul, o governador Gladson Cameli deu uma estocada no candidato do MDB, Fagner Sales. Disse, entre outras coisas, que Zequinha é diferente "dos candidatos que representam feudos familiares", numa clara alusão ao fato de o candidato do MDB ser tutelado por seu pai, o ex-prefeito Vagner e sua mãe, a deputada estadual Antônia, além da deputada federal Jéssica Sales, sua irmã.

Promessas de dinheiro na TV

Aliás, foi divertido o horário eleitoral desta quinta-feira 05/11. Enquanto no programa de Zequinha Lima aparecia ao lado do governador, a deputada federal Perpétua Almeida, embora de oposição ao atual governo, tanto em Brasília como aqui, também apareceu para abençoar o candidato, seu ex-companheiro de PC do B. É por essas e outras que o eleitor mediano acha que partidos e políticos são mesmo tudo iguais.

Bancada forte

E quanto o programa de Zequinha Lima exibia o governador e a deputada federal, o de Fagner Sales exibiu, de uma só vez, os deputados federais Flaviano Melo e sua irmã Jéssica Sales, do MDB, e a deputada federal Mara Rocha, do PSDB, além do senador Márcio Bittar. Todos prometendo dinheiro para Cruzeiro do Sul caso Fagner Sales seja eleito.


Sobrinho, mas um inimigo romano

O que pouca gente sabe é que o candidato do PSL em Cruzeiro do Sul, Sargento Adonis, é sobrinho da deputada federal Perpétua Almeida. O problema é que o sobrinho é totalmente Bolsonaro enquanto a tia, em Brasília, é líder do PC do B e gostaria de ver Bolsonaro no mínimo crucificado e de cabeça para baixo, como os romanos faziam com seus inimigos. .


Bolsonaro em Alagoas: resolvido o mistério

Os pseudos intelectuais da política continuam a bater cabeça para compreender porque o presidente Jair Bolsonaro continua bem avaliado e com chances de disputar com folga o segundo mandato. Por isso: o Canal do Sertão, inaugurado pro Bolsonaro em Alagoas, nesta quinta-feira 05/11, utiliza a água do Rio São Francisco para abastecer a área rural de 42 municípios do Estado. Quando o projeto estiver concluído, o canal terá 250 quilômetros (km) de extensão e beneficiará um milhão de pessoas. Bolsonaro, sabendo disso, participou, em Piranhas (AL), da cerimônia que marcou a conclusão de mais uma etapa da construção do Canal do Sertão de Alagoas. Durante o evento foi assinado o contrato para liberar R$ 14,8 milhões para conclusão da quarta etapa do projeto. Com o fim da quarta fase, 113 mil moradores do sertão de Alagoas vão ser beneficiados.

anuncie aqui

Comentários

bann3