Foi detectado na Espanha o primeiro caso de cólera desde 1979, segundo o jornal El País.

De acordo com a publicação, a doença foi detectada em uma fazenda em Castilla-La Mancha, na província de Toledo, depois de uma menor residente na Comunidade de Madrid ter contraído a bactéria ao consumir água da torneira na propriedade rural.

Neste momento, estão sendo feitas investigações para descobrir a origem da água que teria vindo presumivelmente de um poço.

A jovem estava internada e já recebeu alta, no entanto, as autoridades da região decidiram isolar a propriedade rural até ser encontrada a fonte da infecção.

Segundo os registros do ministério da saúde espanhol, citados pelo jornal, este seria o primeiro caso autóctone de cólera em Espanha desde 1979.

O jornal espanhol falou ainda com o epidemiologista Quique Bassat que diz que o risco para a população é “praticamente nulo”, dado que teria de ocorrer uma “catástrofe para as redes de saneamento em Espanha serem contaminadas”.

A cólera é uma doença infecciosa que causa diarreia, cólicas e fraqueza, e que em muitos casos é leve e até assintomática, embora seja considerada muito perigosa porque em alguns pacientes pode causar a morte em poucas horas devido à grande perda de líquidos e sais minerais.

O agente causador da cólera é a bactéria Vibrio cholerae e a via de transmissão mais comum é o contato direto entre duas pessoas e, sobretudo, a contaminação das redes de água e alimentos. Por isso, é uma doença que atinge principalmente os países menos desenvolvidos, onde pode causar grandes surtos e milhares de mortes. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cada ano ocorrem entre 1.3 e 4 milhões de casos de cólera no mundo e morrem 21 mil e 143 mil pessoas.