banner 2 onda
Banner_doador

Guerra de facções faz mais uma vítima de assassinato no Alto Acre

Polícia admite crescimento neste tipo de crime e que criminosos agem sem medo de serem identificados

Por Kiara Azevedo em 20/11/2020 às 12:13:12

O morto, que não teve o nome revelado, levou quatro tiros na cabeça

TIAO MAIA, DO AMAZÔNIA AGORA

A morte de um homem de 28 anos, ocorrida no início da semana, em Brasiléia, fez acender um sinal de alerta no gabinete das autoridades do sistema estadual de seguran√ßa pública em rela√ß√£o à regi√£o do Alto Acre: a atua√ß√£o de criminosos ligados a fac√ß√Ķes est√° cada vez mais frequente e muito ousada.

Primeiro, pela viol√™ncia com a qual o crime foi cometido. Em segundo lugar, pela desfa√ßatez dos criminosos de comemorarem a morte soltando fogos de artifício pelas ruas da cidade, num claro sinal de que n√£o temem ser descobertos e também pelos recados dados através das comemora√ß√Ķes: os assassinos seriam soldados der uma fac√ß√£o, grupamento de criminosos que est√° em franco crescimento na regi√£o.

O morto n√£o teve o nome revelado. De acordo com informa√ß√Ķes da polícia, ele foi assassinado com quatro tiros na cabe√ßa, na frente da namorada. O rapaz foi abordado por um grupo de quatro homens. Um deles, usando uma pistola do tipo ponto 40, atirou pelo menos quatro vezes contra a cabe√ßa do rapaz.

Homens do 5¬ļ Batalh√£o estiveram no local, onde apoiaram o trabalho da Polícia Civil no recolhimento do corpo, para em seguida ser levado ao Instituto Médico Legal (IML< na Capital. O pai teria sido comunicado da tragédia e iria esperar o corpo no IML, onde seria realizado os procedimentos de praxe para em seguida ser liberado.

A própria polícia teve dificuldades para colher maiores informa√ß√Ķes sobre o assassinato no local porque, em casos assim, admitem os investigadores, impera uma espécie de lei do sil√™ncio, onde ninguém fala, ninguém houve. Após o corpo ser recolhido, o mesmo carro parou em uma rua próxima e os ocupantes disparam roj√Ķes e depois saíram em disparada tomando rumo ignorado.

A polícia trabalha com a hipótese de acerto de contas entre grupos de fac√ß√Ķes rivais. A preocupa√ß√£o das autoridades é eu este tipo de crime vem ocorrendo com muita frequ√™ncia e cada vez mais violentos na regi√£o.


Comunicar erro
anuncie aqui

Coment√°rios

bann3